for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Parlamentares peruanos debatem impeachment de Vizcarra após áudios vazados

Presidente do Peru, Martin Vizcarra. 30/9/2019. Peruvian Presidency/Handout via REUTERS

LIMA (Reuters) - O presidente peruano, Martín Vizcarra, encarou nesta sexta-feira um novo desafio à sua liderança, após áudios vazados em que ele discute reuniões com um cantor envolvido em um caso de fraude que levaram parlamentares a pedirem o seu impeachment.

Membros do Congresso ouviram gravações de duas conversas privadas entre Vizcarra e autoridades do governo sobre reuniões com Richard Cisneros, um cantor pouco conhecido.

Cisneros, também conhecido como Richard Swing, recebeu contratos governamentais para palestras motivacionais no valor de 175.400 sois (49.500 dólares), que estão sendo investigados pelo Congresso e pelo auditor-geral, junto com alegações de sua suposta ligação com a presidência.

Parlamentares disseram que as gravações mostraram Vizcarra tentando minimizar suas reuniões com Cisneros. Na sexta-feira, eles buscaram aprovação do Congresso para começar procedimentos de impeachment contra o presidente por “incapacidade moral”.

O último tumulto entre Vizcarra e o Congresso, um mosaico de partidos da esquerda à direita, sem maioria absoluta, corre o risco de aprofundar a crise no segundo maior produtor de cobre do mundo, que já está em um dos piores surtos de coronavírus do continente e na maior recessão em três décadas.

Vizcarra chegou ao poder dois anos atrás, depois da renúncia do ex-presidente Pedro Pablo Kuczynski, por acusações de corrupção. Em setembro passado, ele enfrentou uma outra tentativa de impeachment, por incapacidade.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up