for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Na véspera da eleição, milhares se juntam em protesto contra o Kremlin na Rússia

MOSCOU (Reuters) - Milhares de pessoas se reuniram na cidade russa de Khabarovsk, no extremo-leste do país, neste sábado, no que se tornou um protesto semanal contra o Kremlin desde a prisão do popular governador da região, em julho, disse uma testemunha da Reuters.

Moradores de Khabarovsk, que fica aproximadamente 6.110 quilômetros ao leste de Moscou, começaram as manifestações após a prisão de Sergei Furgal, em 9 de julho, por acusações de assassinato, que ele nega.

Os apoiadores de Furgal, que dizem que sua detenção foi motivada por política, acusam o presidente Vladimir Putin de ter lidado mal com a crise política.

“Putin é um ladrão - ele roubou Furgal de nós”, cantaram alguns dos manifestantes que marchavam pela principal via pública da cidade, um dia antes de o país realizar eleições locais.

Autoridades locais, segundo a agência de notícias TASS, deram uma estimativa baixa para o tamanho da multidão, dizendo que por volta de 700 pessoas participaram da marcha.

Os manifestantes de Khabarovsk também exigem que as eleições de domingo sejam justas. Alguns carregaram cartazes em que se lia “Cada voto importa” ou com caricaturas de Ella Pamfilova, chefe da Comissão Central Eleitoral, com a pergunta “Eleições justas?”.

A votação de domingo, que é vista pelo Kremlin como preparação para as eleições parlamentares do próximo mês de setembro, elegerá 18 governadores regionais e uma série de parlamentares e vereadores locais. A votação antecipada começou na sexta-feira.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up