for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Equipe de Navalny diz que agente nervoso foi encontrado em garrafa de água de quarto de hotel

MOSCOU (Reuters) - O agente nervoso usado para envenenar o líder de oposição russo Alexei Navalny foi detectado em uma garrafa de água vazia de seu quarto de hotel na cidade siberiana de Tomsk, o que leva a crer que ele foi contaminado ali, e não no aeroporto, como se pensou inicialmente, disse sua equipe nesta quinta-feira.

Líder de oposição russo Alexei Navalny 29/02/2020 REUTERS/Shamil Zhumatov

Navalny ficou gravemente doente em um voo na Rússia no mês passado e foi levado de avião para Berlim para ser tratado. Laboratórios da Alemanha, França e Suécia determinaram que ele foi envenenado com um agente nervoso Novichok, um veneno desenvolvido pelos militares soviéticos, mas a Rússia nega e diz não ter visto nenhum indício.

Um vídeo publicado na conta de Instagram de Navalny mostrou membros de sua equipe vasculhando o quarto que ele havia acabado de desocupar no Hotel Xander de Tomsk no dia 20 de agosto uma hora depois de saberem que ele adoeceu em circunstâncias suspeitas.

“Decidiu-se coletar tudo que poderia ser mesmo hipoteticamente útil e entregar aos médicos da Alemanha. O fato de que o caso não seria investigado na Rússia é bastante óbvio”, disse a postagem.

O vídeo do quarto de hotel abandonado mostra duas garrafas de água em uma mesa e outra em um criado mudo. Usando luvas de proteção, a equipe de Navalny é vista colocando itens em sacolas plásticas azuis.

“Duas semanas depois, um laboratório alemão encontrou vestígios de Novichok precisamente na garrafa de água do quarto de hotel de Tomsk”, disse a postagem.

“E depois, mais laboratórios que tiraram análises de Alexei confirmaram que foi isso que envenenou Navalny. Agora entendemos: foi feito antes de ele sair do quarto de hotel para ir ao aeroporto.”

Anteriormente, assessores do político disseram suspeitar que ele havia sido envenenado com um copo de chá que bebeu no aeroporto de Tomsk.

Vladimir Milov, ex-vice-ministro da Energia e aliado de Navalny, disse que sua equipe driblou a polícia de segurança FSB com seu pensamento rápido: “Eles tiraram os indícios bem debaixo dos narizes deles e os enviaram para fora do país.”

Georgy Alburov, outro aliado do opositor, disse à Reuters que “as garrafas voaram com Alexei” quando ele foi transportado para a Alemanha no dia 22 de agosto.

Navalny é o oponente político mais destacado do presidente Vladimir Putin, embora não tenha tido permissão de formar seu próprio partido. Suas investigações sobre a corrupção estatal, publicadas no YouTube e no Instagram, alcançaram audiências de muitos milhões em toda a Rússia.

Alemanha, França, Reino Unido e outras nações exigiram explicações da Rússia, e surgiram pedidos de mais sanções contra Moscou.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up