for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Fauci diz que surto de Covid-19 da Casa Branca poderia ter sido evitado

Anthony Fauci fala no Congresso, em Washington 23/9/ 2020 Graeme Jennings/Pool via REUTERS

WASHINGTON (Reuters) - Principal autoridade em doenças infecciosas dos Estados Unidos, o doutor Anthony Fauci, cuja defesa das diretrizes de saúde pública para o combate ao coronavírus se chocaram com a minimização da pandemia por parte do presidente Donald Trump, disse na terça-feira que o surto recente de infecções de Covid-19 da Casa Branca poderia ter sido evitado.

Vários assessores próximos a Trump e políticos republicanos de alto escalão foram diagnosticados como coronavírus desde que o presidente republicano anunciou na sexta-feira que ele e a primeira-dama, Melania Trump, contraíram o vírus.

“Olhem o que aconteceu nesta semana na Casa Branca”, disse Fauci em uma entrevista à Kennedy Political Union, da Universidade Americana, quando indagado que conselho tinha para as pessoas debaterem ações preventivas com familiares que acreditam que a pandemia é uma farsa.

“Aquilo é a realidade, ali mesmo. E a cada dia que passa estão surgindo mais pessoas que estão infectadas. Não é uma farsa. É uma situação lamentável quando você vê algo assim, porque aquilo poderia ter sido evitado.”

Fauci defende há tempos o uso de máscaras para evitar a disseminação do coronavírus.

Trump voltou à Casa Branca na segunda-feira depois de três noites em um hospital militar onde foi tratado de Covid-19, dizendo aos norte-americanos para “saírem de casa” e não deixarem suas vidas serem dominadas pelo vírus.

Ele saiu do hospital de máscara, mas a retirou para posar para fotos na varanda da Casa Branca e não a recolocou ao entrar no edifício.

O presidente, que está atrás do rival democrata Joe Biden nas pesquisas para a eleição de 3 de novembro, pressionou por uma reativação rápida da economia e das escolas e acusou democratas de impedir tais ações por razões políticas.

Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA, atribuiu uma disparada de infecções de coronavírus em parte ao fato de o país não ter se fechado completamente.

Por Mohammad Zargham

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up