for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

França, EUA e Rússia discutirão Nagorno-Karabakh em meio a temores de guerra regional

Fumaça emerge de edificação em meio ao conflito na região de Nagorno-Karabakh 07/10/2020 Hayk Baghdasaryan/Photolure via REUTERS

BAKU/YEREVAN/PARIS (Reuters) - França, Estados Unidos e Rússia intensificarão os esforços para acabar com o confronto entre forças azeris e armênias étnicas no sul do Cáucaso realizando conversas em Genebra na quinta-feira em meio ao aumento dos temores de uma guerra regional.

O ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, disse que representantes russos, franceses e norte-americanos também se reunirão em Moscou na segunda-feira para analisar maneiras de persuadir os lados em conflito a negociarem um cessar-fogo.

“Queremos que todos entendam que é de seu interesse parar imediatamente com as hostilidades, sem condições, e que iniciemos uma negociação”, disse ele ao Comitê das Relações Exteriores do Parlamento francês.

Le Drian não deixou claro se algum representante armênio ou azeri comparecerá, mas o Azerbaijão disse que seu chanceler, Jeyhun Bayramov, visitará Genebra na quinta-feira.

A chancelaria armênia disse que o chanceler Zohrab Mnatsakanyan visitará Moscou na segunda-feira, mas não deu detalhes, descartando uma reunião com Bayramov.

Até agora, as partes em atrito ignoraram pedidos de cessar-fogo de Paris, Washington e Moscou, que mediaram durante quase três décadas o conflito sobre Nagorno-Karabakh, um enclave montanhoso que a lei internacional diz pertencer ao Azerbaijão, mas que é povoado e governado por armênios étnicos.

Os líderes azeris e armênios tampouco se entendem a respeito das condições para interromper os combates iniciados em 27 de setembro.

Tradução Redação São Paulo, 5511 56447702 REUTERS AC

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up