for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Papa tenta tranquilizar inspetores financeiros em meio a escândalo de cardeal

Papa Francisco posa ao lado de especialistas do Moneyval no Vaticano 08/10/2020 Mídia d Vaticano/Divulgação via REUTERS

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O papa Francisco tentou garantir a inspetores externos que analisam as operações financeiras do Vaticano, nesta quinta-feira, de que está levando reformas adiante, ao mesmo tempo em que a Santa Sé sofre com um escândalo que o levou a demitir um cardeal poderoso.

Em um discurso à Moneyval, a unidade de monitoramento financeiro do Conselho da Europa, Francisco listou ações recentes que adotou para tornar as finanças do Vaticano mais transparentes.

Ele pareceu se referir aos escândalos financeiros mais recentes do Vaticano ao citar a história dos Evangelhos na qual Jesus expulsa os mercadores do templo e lhes diz: “Não se pode servir a Deus e ao dinheiro”.

No mês passado, o papa demitiu o cardeal italiano Angelo Becciu, acusando-o de apropriação indevida e nepotismo. Becciu nega qualquer irregularidade.

A Moneyval está fazendo uma de suas inspeções periódicas para verificar se o Vaticano está cumprindo normas internacionais de combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo.

“As medidas que vocês estão avaliando são concebidas para promover ‘finanças limpas’, nas quais os ‘mercadores’ são impedidos de especular naquele ‘templo’ sagrado”, disse Francisco.

Nesta semana, a mídia italiana publicou entrevistas com uma mulher que diz ter recebido 500 mil euros de Becciu para organizar uma “diplomacia paralela” para ajudar missionários em áreas de conflito.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up