for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Barreira contra inundações salva Veneza de segunda maré alta

Praça de São Marcos, Veneza, Itália, 15/10/2020. REUTERS/Manuel Silvestri

VENEZA, Itália (Reuters) - Desafiando os incrédulos, uma barreira contra inundações protegeu Veneza pela segunda vez de uma maré alta que se ergueu do leito da lagoa nesta quinta-feira, quando ventos fortes começaram a empurrar a água para dentro da cidade.

O sistema de 78 comportas, conhecido como Mose, teve um primeiro desempenho bem-sucedido no início de outubro e voltou a provar seu valor, salvando Veneza de uma maré que autoridades haviam previsto chegar a 135 centímetros – neste nível, normalmente metade da cidade ficaria debaixo da água.

A autoridade de vigilância das marés disse no Twitter que a maré alcançou 141 centímetros em áreas sem proteção do Mose, enquanto em Veneza não passou de 52 centímetros, deixando as praças e travessas livres.

As inundações de Veneza, “acqua alta” em italiano, são causadas por uma combinação de fatores exacerbados pela mudança climática – da elevação do nível dos mares e das marés anormalmente altas à subsidência da terra, que reduziu o nível do solo veneziano.

Das 23 marés já registradas acima do nível de 140 centímetros, 14 ocorreram nas últimas duas décadas, sendo cinco em novembro, quando a Praça São Pedro ficou submersa sob um metro de água.

O Mose deveria ter entrado em funcionamento em 2011, mas foi prejudicado pela corrupção, pela superação dos custos e por atrasos na construção.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up