for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

UE está aquém de metas para proteger a natureza, diz agência

Comissário do Meio Ambiente da UE, Virginijus Sinkevicius 20/05/2020 John Thys/Pool via REUTERS

BRUXELAS (Reuters) - A agricultura insustentável, a silvicultura e a disseminação da urbanização estão degradando a saúde dos animais da Europa e seus habitats naturais, disse a agência ambiental da União Europeia, o que significa que o bloco não cumprirá metas cruciais de proteção da biodiversidade.

A maioria dos habitats e espécies protegidos da Europa está em situação de conservação precária, disse a Agência Europeia do Ambiente (EEA) em um relatório divulgado nesta segunda-feira.

A UE almejava aumentar a quantidade de habitats e espécies não-avícolas em situação de conservação boa ou aprimorada em 100% e 50%, respectivamente, em 2020 na comparação com o período 2001-2006.

Mas o bloco deve ficar 12% aquém desta meta para habitats e 2% para espécies não-avícolas, disse a EEA. A UE tampouco alcançou o objetivo de aumentar a quantidade de espécies avícolas em situação populacional boa ou aprimorada até 2020.

“Isto mostra muito claramente que continuamos perdendo nossos sistemas vitais de sustentação da vida”, disse o comissário do Meio Ambiente da UE, Virginijus Sinkevicius.

Como a crise dupla da mudança climática e da perda de vida selvagem está se acelerando, o bloco, além de países como Canadá e Reino Unido, está tentando criar um impulso antes de uma cúpula global de biodiversidade no ano que vem na China, onde quase 200 países negociarão um novo acordo para proteger a natureza.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up