for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

México pede que cemitérios fechem antes de feriado por medo de volta do coronavírus

Praça Zócalo, Cidade do México 31/10/2018 REUTERS/Henry Romero

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O México está pedindo que os cemitérios fechem para visitantes públicos antes do feriado do Dia dos Mortos, uma data que normalmente atrai centenas de milhares de pessoas de toda a nação, enquanto as autoridades lutam para evitar outra onda de infecções de coronavírus.

A celebração de 1º e 2 de novembro mistura rituais católicos e a crença pré-hispânica de que os mortos voltam uma vez por ano do submundo, e os fiéis lotam cemitérios e praças públicas nestes dias.

Antes do feriado, a maioria dos cemitérios ficará fechada, já que estes “se tornam áreas de alto risco de contágio”, disse o vice-ministro da Saúde, Hugo López-Gatell, aos repórteres na terça-feira. “A recomendação é evitar multidões.”

Um surto em um casamento elegante em Mexicali, cidade fronteiriça do norte, neste mês foi um lembrete do risco de saúde das aglomerações – as autoridades municipais disseram que mais de cem das várias centenas de convidados contraíram o vírus.

López-Gatell acrescentou que as hospitalizações de Covid-19 aumentaram nos últimos dias, o que reverteu uma tendência de queda iniciada no final de julho. Ele deu a entender que a detecção mais rápida do vírus ou o número crescente de infecções – ou os dois fatores combinados – pode ser responsável.

“Temos sinais inicias de um aumento da pandemia”, disse.

A Cidade do México, a maior metrópole do país, alertou que restrições mais rigorosas podem estar a caminho se a tendência de alta das hospitalizações persistir na ampla capital.

Por Raul Cortes e Anthony Esposito; reportagem adicional de Lizbeth Diaz e Daina Beth Solomon

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up