for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Juiz dos EUA expressa dúvida sobre tentativa de republicanos do Texas de descartar 127 mil votos

HOUSTON (Reuters) - Um juiz federal do Texas pareceu cético nesta segunda-feira em relação à tentativa de republicanos de descartar cerca de 127 mil votos já registrados para a eleição presidencial por meio de drive-throughs em Houston, uma região com tendências democratas.

Na véspera do dia da eleição, o juiz federal Andrew Hanen disse que os republicanos que apresentaram o caso terão uma “difícil missão” para convencê-lo de que os votos devem ser descartados.

O juiz afirmou que eles precisam mostrar que o escrivão do condado de Harris, Chris Hollins, um democrata, teve um “motivo maligno” ao permitir a votação por meio de drive-throughs como uma alternativa durante a pandemia de coronavírus.

Hanen também questionou a apresentação de última hora do caso.

“Não testamos isso durante as primárias no verão (do hemisfério norte)?”, questionou o juiz em direção a um dos advogados, acrescentando: “Por que estou recebendo este caso apenas agora?”.

O Texas, segundo maior Estado dos EUA, é tradicionalmente republicano, mas as pesquisas mostram uma disputa acirrada este ano entre o presidente Donald Trump e o democrata Joe Biden, com mais de nove milhões de votos já entregues, superando o total de comparecimento do Estado na eleição presidencial de 2016.

O condado de Harris, que abriga a cidade de Houston e aproximadamente 4,7 milhões de pessoas, é o terceiro mais populoso dos EUA. Atualmente, tem 10 postos eleitorais por drive-through, disponível a todos os eleitores.

Reportagem de Jan Wolfe

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up