for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Com aproximação do furacão Eta, Nicarágua e Honduras preparam retirada de moradores

(Reuters) - Nicarágua e Honduras estavam retirando cidadãos de seu litoral atlântico na segunda-feira, conforme o furacão Eta se aproximava e o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC) alertava sobre enchentes e “ventos catastróficos” na América Central.

A tempestade, um furacão devastador de categoria 4 na escala de cinco pontos Saffir-Simpson, tinha previsão de atingir a costa nordeste da Nicarágua na noite de segunda ou início de terça-feira, disse o NHC, com sede em Miami.

Descrevendo-o como um “grande furacão”, o NHC informou que as chuvas do Eta podem causar “tempestades fatais, ventos catastróficos, enchentes e deslizamentos de terra” em partes da América Central. Jamaica, sul do Haiti, Ilhas Cayman, El Salvador e sul do México também podem ser atingidos.

O Eta está prestes a se tornar um dos furacões mais poderosos a atingir a Nicarágua em anos e pode testar o presidente Daniel Ortega, que comanda um dos países mais pobres das Américas.

Na tarde de segunda-feira, ventos fortes e chuvas carregadas atingiram a Nicarágua e o governo colocou as regiões no caminho do furacão em alerta vermelho. Também retirou cerca de 3.000 famílias da zona costeira e enviou suprimentos para ajudar os moradores a se prepararem para o impacto da tempestade, disse a vice-presidente Rosario Murillo.

Em Honduras, o governo colocou cinco regiões da costa atlântica em alerta vermelho, seu maior alerta, e o esvaziamento dos locais sob ameaça estava em andamento, disseram autoridades locais.

Reportagem de Gustavo Palencia e Ismael Lopez

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up