for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Eleição nos EUA é marcada por desinformação online

(Reuters) - A desinformação online sobre os resultados da eleição nos Estados Unidos continuou a se espalhar nesta quarta-feira, enquanto o presidente Donald Trump falsamente alegava ter vencido com milhões de votos ainda a serem contados e fazia afirmações infundadas sobre a legitimidade da apuração dos votos.

REUTERS/Carlos Barria

O Twitter colocou um alerta em publicação de Trump, em que ele alegou sem evidências que novos votos de cédulas surpresa estavam ajudando seu rival Joe Biden, como tendo conteúdo que era questionável e “potencialmente enganoso sobre uma eleição ou outro processo cívico”.

O Facebook e o Twitter sinalizaram várias outras publicações do presidente dos EUA enquanto os votos ainda estavam sendo contados, em um teste em tempo real de suas regras sobre como lidar com a desinformação e reivindicações prematuras de vitória.

A Casa Branca não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

As duas empresas estão sendo pressionadas sobre como moderam a rápida disseminação de informações falsas relacionados às eleições em suas plataformas. Nas semanas que antecederam a votação de terça-feira, ambas prometeram agir contra publicações de candidatos que tentam declarar vitória antes que o resultado seja oficial.

O Twitter ocultou uma publicação de Trump que alegava uma tentativa de fraude por trás de um rótulo que afirmava que a mensagem era potencialmente enganosa. A empresa também restringiu a capacidade dos usuários de compartilhar a publicação.

O Facebook adicionou um aviso à mesma publicação, que tinha cerca de 18.000 compartilhamentos, dizendo que “os resultados finais podem ser diferentes das contagens de votos iniciais, pois a contagem de votos continuará por dias ou semanas”.

Uma porta-voz do Facebook disse que não estava restringindo o alcance ou o compartilhamento do conteúdo rotulado. Ela também disse que a rede social não sinalizaria reivindicações prematuras de vitórias estaduais, apenas o resultado final da corrida presidencial.

O Twitter não rotulou uma publicação na qual Trump declarou “Uma grande vitória!” Uma porta-voz disse que isso era porque a linguagem era vaga e não estava claro que a vitória estava sendo reivindicada.

O Facebook adicionou um alerta à essa publicação, que tinha mais de 33.000 compartilhamentos, dizendo: “os votos ainda estão sendo contados. O vencedor das eleições presidenciais dos EUA em 2020 não foi definido.”

Trump afirmou em um discurso transmitido ao vivo em ambas as plataformas que havia vencido a eleição, com milhões de votos ainda não contabilizados. O democrata Joe Biden disse que estava confiante na vitória.

O Facebook rotulou o vídeo, que teve 2,6 milhões de visualizações até a manhã desta quarta-feira, com um aviso dizendo que a contagem de votos poderia continuar por dias ou semanas. O vídeo não tinha rótulo ou alertas no Twitter, após ser publicado pela campanha de Trump e retuitado pelo presidente.

“Gravações ou clipes da coletiva de imprensa por conta própria não são uma violação de nossas políticas”, disse uma porta-voz do Twitter.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up