for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Segundo turno na Geórgia dá esperança a candidatura de pastor da igreja de Luther King ao Senado dos EUA

Reverendo democrata Raphael Warnock, cadidato ao Senado dos EUA 03/11/2020 Jessica McGowan/Pool via REUTERS/

ATLANTA (Reuters) - O pastor que hoje ocupa o púlpito onde o líder de direitos civis norte-americano Martin Luther King Jr. pregou um dia foi lançado sob os holofotes do país nesta semana, quando autoridades da Geórgia determinaram que sua candidatura ao Senado será decidida em um segundo turno em janeiro.

O reverendo Raphael Warnock, um democrata negro, enfrenta uma batalha dura na tentativa de destronar a senadora republicana Kelly Loeffler, empresária rica que foi indicada ao assento no Estado de tendência conservadora depois que seu antigo ocupante se aposentou.

A disputa de 5 de janeiro certamente atrairá uma grande quantidade de dinheiro e interesse midiático, já que tem o potencial de ajudar a determinar qual partido assume o controle do Senado dos Estados Unidos no ano que vem, assim como outra disputa pelo Senado estadual.

Pregador batista que nunca ocupou um cargo político, Warnock, de 51 anos, disse que a demografia em transformação lhe dá uma chance. Ele liderou a disputa entre 21 candidatos com 32,7% dos votos, embora Loeffler e seu rival republicano mais próximo, o deputado Doug Collins, tenham recebido juntos 46,1% dos votos.

“Ninguém na Geórgia acredita mais que este é um Estado vermelho. Nem o outro lado acredita que este é um Estado vermelho, e é por isso que está engajado na supressão de eleitores”, disse Warnock, principal pastor da Igreja Batista Ebenezer de Atlanta há 14 anos, em um discurso de campanha recente.

Por Rich McKay em Atlanta e Susan Cornwell em Washington

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up