for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Líder republicano diz que Trump está no direito de investigar supostas irregularidades na eleição

Líder republicano no Senado dos Estados Unidos, Mitch McConnell 09/11/2020 Stefani Reynolds/Pool via REUTERS

WASHINGTON (Reuters) - O líder republicano no Senado dos Estados Unidos, Mitch McConnell, disse nesta segunda-feira que o presidente norte-americano, Donald Trump, está completamente em seu direito de examinar alegações de irregularidades na eleição presidencial de semana passada.

Em um discurso no plenário do Senado, McConnell disse que não reconhece o democrata Joe Biden como presidente eleito ou Kamala Harris como a vice-presidente eleita.

“O presidente Trump está 100% no direito de analisar as alegações de irregularidades e avaliar suas opções legais”, disse McConnell.

Mais cedo nesta segunda-feira, dois outros senadores republicanos, Susan Collins e Ben Sasse, parabenizaram Biden. Collins enfatizou a importância da transição para garantir que o presidente eleito e sua vice estejam prontos para governar no dia 20 de janeiro.

“Ele ama seu país, e eu desejo a ele todo sucesso”, disse Collins em nota. Ela e Sasse estão entre uma pequena porção de senadores republicanos que parabenizaram o democrata após ele conquistar os votos necessários no Colégio Eleitoral para chegar à Presidência do país, de acordo com projeções.

Collins, que na semana passada conseguiu sua reeleição, disse, no entanto, que o republicano Trump deve ter a oportunidade de contestar os resultados da eleição.

Trump não reconheceu sua derrota nas urnas e está buscando opções jurídicas para contestar o resultado, alegando fraude eleitoral, mas sem oferecer evidências para sustentar suas acusações.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up