for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Saeb Erekat, da Organização pela Libertação da Palestina, morre de Covid-19

Saeb Erekat em Ramallah em janeiro de 2019 30/01/2019 REUTERS/Mohamad Torokman

JERUSALÉM (Reuters) - Saeb Erekat, um dos porta-vozes mais experientes e graduados da causa palestina ao longo de décadas de disputa com Israel, morreu nesta terça-feira aos 65 anos depois de contrair Covid-19, disse sua família.

“Com os corações cheios de tristeza e dor, e com paciência, o clã Erekat de todas as partes chora Saeb Erekat pelo povo palestino árabe e pela nação árabe e muçulmana”, disse seu clã familiar estendido no Facebook.

Fluente em inglês, ele foi um porta-voz destacado de líderes palestinos como Yasser Arafat e Mahmoud Abbas, embora nunca um candidato viável à sua sucessão.

Erekat, secretário-geral da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), confirmou em 8 de outubro que havia contraído o coronavírus. Três anos antes, ele recebeu um transplante de pulmão nos Estados Unidos que comprometeu seu sistema imunológico.

Ele morreu depois de passar semanas hospitalizado no Centro Médico Hadassah de Jerusalém. A família disse que ele faleceu por causa de “complicações resultantes de ter contraído o coronavírus”.

Um dos membros mais jovens da liderança palestina, Erekat destoava por não ter passado décadas no exílio com Arafat e Abbas, a geração mais antiga de sua facção Fatah, que domina a OLP.

Nos últimos anos, Erekat foi a principal figura palestina de uma guerra de palavras com o governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decorrente de um plano dos EUA que deixaria Israel no controle de assentamentos judeus e grandes partes da Cisjordânia sob ocupação.

Por Rami Ayyub e Nidal al-Mughrabi

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up