for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Colômbia torce por vacina no 1º semestre de 2021 e prepara armazenagem a frio

31/10/2020 REUTERS/Dado Ruvic/Foto ilustrativa

BOGOTÁ (Reuters) - A Colômbia espera ter suprimentos da vacina contra Covid-19 da Pfizer Inc ou outras farmacêuticas no primeiro semestre do ano que vem, disse o governo nesta terça-feira, e está trabalhando em unidades de “ultrarefrigeração” em cinco cidades para armazenar as doses.

A Pfizer e sua parceira alemã BioNTech disseram nesta semana que sua vacina experimental contra Covid-19, que exige armazenamento ultrafrio, é mais de 90% eficiente com base em resultados iniciais de testes.

A Covid-19 matou pouco mais de 33 mil pessoas na Colômbia, que impôs uma quarentena de mais de cinco meses este ano.

“A Colômbia está trabalhando no desenvolvimento da ultrarefrigeração em cinco cidades”, disse o ministro da Saúde, Fernando Ruiz, em um comunicado. “Entretanto, o mecanismo que a Pfizer está usando para estas vacina inclui a entrega ultracongelada até o ponto de aplicação.”

O governo e a Pfizer realizaram uma reunião para debater o congelamento e o transporte, que será disponibilizado pela empresa, disse o ministério.

A Pfizer não respondeu de imediato a um pedido de comentário, mas havia dito que tem ferramentas e planos detalhados para auxiliar o transporte, o armazenamento e o monitoramento contínuo da temperatura da vacina.

No mês passado, a Colômbia disse que as vacinas que exigem armazenamento ultrafrio podem criar desafios de distribuição.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up