for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Reeleição de Sullivan no Alasca leva batalha do Senado dos EUA à Geórgia

Vista parcial do Capitólio em Washington 14/10/2020 Graeme Sloan/Sipa USA

WASHINGTON (Reuters) - O senador republicano Dan Sullivanm, do Estado norte-americano do Alasca, foi reeleito, mostraram projeções da consultoria Edison Research e de redes de televisão nesta quarta-feira, deixando o controle do Senado a ser determinado em janeiro por dois segundos turnos na Geórgia.

Sullivan, de 55 anos, derrotou Al Gross, um independente que concorreu como democrata, em uma eleição que alguns analistas políticos tinham visto como uma oportunidade em potencial para os democratas capturarem uma vaga dos republicanos no Senado.

A corrida foi encerrada quando Sullivan liderava Gross por 20 pontos percentuais, 57,5% a 37,5%.

Ex-fuzileiro naval, Sullivan capitalizou seu histórico no Senado e rotulou Gross como um candidato alinhado aos democratas, incluindo o líder de oposição no Senado, Chuck Schumer.

Gross, cirurgião ortopédico de 58 anos, havia arrecadado mais do que o dobro dos fundos de campanha de Sullivan, mas sua vantagem financeira não bastou.

Democratas ocuparam assentos republicanos no Arizona e no Colorado na eleição da semana passada, mas perderam uma cadeira no Alabama, reduzindo seu ganho a uma única vaga.

Na manhã desta quarta-feira, os democratas confirmaram seu controle da Câmara dos Deputados, mas com uma maioria menor que a atual.

Por David Morgan, Mohammad Zargham e Susan Heavey

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up