for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Mais de 300 são presos após confrontos de extrema-direita em Varsóvia

Manifestantes participam de marcha em Varsóvia 11/11/2020 Maciek Jazwiecki/Agencja Gazeta/via REUTERS

VARSÓVIA (Reuters) - A polícia polonesa deteve mais de 300 pessoas após choques com apoiadores da extrema-direita que marcharam por Varsóvia desafiando as restrições da pandemia, disse a corporação nesta quinta-feira.

Policiais do batalhão de choque usaram spray de pimenta para interromper os confrontos do Dia da Independência, um ponto de atrito entre grupos de extrema-direita e apoiadores do governo nacionalista de um lado e de seus oponentes liberais do outro.

Pessoas da multidão atiraram pedras e sinalizadores nos policiais, disse o porta-voz da polícia de Varsóvia, Sylwester Marczak. A violência irrompeu no centro da cidade e, perto do final da marcha, nos arredores do Estádio Nacional, convertido recentemente em um hospital de campanha para pacientes com Covid-19.

Organizadores haviam dito que, neste ano, pessoas dariam uma volta de carro pelas principais ruas da capital para driblar uma proibição imposta pela prefeitura para tentar conter a pandemia, mas milhares de pessoas marcharam a pé pelo centro de Varsóvia, além das motorizadas.

“Havia vários sinalizadores, objetos perigosos atirados contra os policiais e representando uma ameaça aos policiais. Houve 35 policiais feridos”, disse Marczak.

A maioria das pessoa detidas já foi libertada, acrescentou.

Por Marcin Goclowski e Pawel Florkiewicz

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up