for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Israel faz ataque amplo na Síria e sinaliza postura agressiva pós-Trump

Linha de cessar-fogo entre Israel e Síria nas Colinas de Golã, ocupadas por Israel 25/03/2019 REUTERS/Ammar Awad

JERUSALÉM/AMÃ (Reuters) - Israel lançou ataques aéreos contra o que classificou como uma gama ampla de alvos sírios e iranianos na Síria nesta quarta-feira, enviando a mensagem de que prosseguirá com sua diretriz de ataques apesar da derrota eleitoral do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Israel disse que está retaliando o que descreveu como uma operação patrocinada pelo Irã por meio da qual sírios plantaram explosivos perto de uma base militar israelense nas Colinas de Golã, que estão sob ocupação.

O Estado judeu tem atacado com frequência o que diz serem alvos ligados ao Irã na Síria em anos recentes e intensificou tais ataques ao longo do último ano, o que fontes de inteligência ocidentais descrevem como uma guerra de bastidores para diminuir a influência iraniana.

Mas os ataques desta quarta-feira atingiram uma variedade muito maior de alvos do que o normal, e os militares israelenses foram mais explícitos sobre os detalhes do que no passado, o que leva a crer em uma intenção clara de dar um recado público.

Trump, que fracassou na tentativa de se reeleger em 3 de novembro, tem sido um grande defensor da intervenção militar israelense contra as forças iranianas na Síria. O presidente eleito norte-americano, Joe Biden, disse que tentará ressuscitar um acordo nuclear com Teerã que Trump abandonou.

A agência de notícias estatal síria relatou que três efetivos militares foram mortos e que um foi ferido pela “agressão israelense”.

Reportagem adicional de Laila Bassam, em Beirute, e Hashem Abdul Khalek, no Cairo

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up