for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Incidente em hospital em Moscou não teve vítimas

MOSCOU (Reuters) - A fumaça que emanou de um hospital de tratamento de coronavírus em Moscou, causada pela perda de pressão de um tanque de oxigênio em um edifício em construção, não colocou funcionários nem pacientes em risco, disse o departamento de saúde da cidade nesta quarta-feira.

Testemunhas disseram ao canal de televisão NTV que um estouro alto foi seguido pelo surgimento de fumaça em um dos edifícios do complexo hospitalar Kommunarka, um dos principais centros de combate ao coronavírus da capital russa.

A Rússia já teve incêndios em instalações de combate ao coronavírus. Em outubro, mais de 150 pacientes foram retirados de um hospital temporário depois de uma explosão de oxigênio, e em maio cinco pacientes morreram quando um ventilador sobrecarregado iniciou um incêndio em uma unidade de tratamento intensivo de São Petersburgo.

“Não havia pacientes neste bloco. Não houve baixas. Os serviços relevantes estão corrigindo o defeito. Não há ameaça a pacientes nem a funcionários do hospital”, disse o Departamento de Saúde de Moscou em um comunicado.

De acordo com o Ministério de Emergências, um tubo de oxigênio perdeu pressão durante trabalhos de instalação. O edifício não estava sendo usado como hospital, acrescentou.

Imagens da NTV mostraram caminhões de bombeiros no local e fumaça emanando do complexo em direção ao céu noturno.

Por Gabrielle Tétrault-Farber e Gleb Stolyarov

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up