for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Número de mortes de Covid-19 nos EUA se aproxima de 250 mil, infecções disparam

Paciente com Covid-19 em hospital em Houston, Texas (EUA) 08/09/2020 REUTERS/Callaghan O'Hare

(Reuters) - O número de mortes de Covid-19 nos Estados Unidos se aproximou de 250 mil nesta quarta-feira, um dia depois de o país registrar o maior número de vítimas em quase quatro meses, um sinal agourento para um sistema de saúde que já mostra dificuldades de lidar com a situação.

Na terça-feira, a pandemia causou 1.596 mortes nos EUA, mais do que em qualquer outro dia desde 27 de julho, elevando o total para 248.898 óbitos desde o início da pandemia, de acordo com uma contagem da Reuters.

Autoridades e profissionais de saúde passaram semanas alertando que hospitais de todas as regiões podem ficar sobrecarregados em breve, e a transmissão comunitária generalizada do vírus é evidente em muitos lugares.

“Nunca estive tão preocupado desde que esta pandemia começou”, disse o doutor Tom Inglesby, diretor do Centro de Segurança da Saúde Johns Hopkins, à CNN nesta quarta-feira.

Nacionalmente, o número de pacientes hospitalizados com Covid-19 passou de 75 mil na terça-feira, um novo recorde. O Meio-Oeste se tornou o epicentro, já que relatou quase meio milhão de casos na semana encerrada na segunda-feira.

Quarenta e um Estados norte-americanos relataram números diários recordes de casos de Covid-19 em novembro, 20 registraram novas altas de mortes ligadas ao coronavírus em um dia e 26 relataram novos picos de hospitalizações, segundo uma contagem da Reuters com base em dados de saúde pública.

Por Gabriella Borter em Nova York e Anurag Maan em Bengaluru; reportagem adicional de Susan Heavey e Maria

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up