29 de Agosto de 2017 / às 11:29 / em 4 meses

Trump visitará o Texas para estudar respostas à tempestade Harvey

HOUSTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deve visitar o Texas nesta terça-feira para estudar a resposta à devastadora tempestade tropical Harvey, o maior desastre natural a atingir o país desde que ele chegou à Casa Branca.

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, durante coletiva de imprensa na Casa Branca, em Washington 28/08/2017 REUTERS/Kevin Lamarque

A tempestade provocou inundações catastróficas no Texas, matando pelo menos nove pessoas, e levou à retirada em massa de moradores e paralisou Houston, quarta cidade mais populosa dos EUA.

A tempestade também preocupou os mercados de energia e gerou estragos estimados em bilhões de dólares, uma vez que a reconstrução deve durar mais tempo do que os quatro anos do mandato de Trump no poder.

“Minha administração está coordenando de perto com autoridades locais e dos Estados no Texas e em Louisiana para salvar vidas, e agradecemos aos primeiros socorros e a todos aqueles envolvidos em seus esforços”, disse Trump a jornalistas na Casa Branca na segunda-feira.

Trump deve chegar na manhã desta terça-feira a Corpus Christi, próximo de onde Harvey atingiu o continente na sexta-feira como o furacão mas poderoso no Texas em mais de 50 anos.

O presidente irá mais tarde à capital do Texas, Austin, para se encontrar com autoridades do Estado, receber informações e fazer uma visita pelo centro de operações de emergência, segundo a Casa Branca.

Meteorologistas podem fazer poucas comparações com a tempestade, relembrando o furacão Katrina, que assolou Nova Orleans e matou 1.800 pessoas em 2005.

A administração do então presidente George W. Bush foi acusada de ter tido uma resposta lenta e inadequada - crítica que foi um forte golpe à sua presidência.

Os estragos com a inundação no Texas pelo furacão Harvey podem se equivaler aos do Katrina, um dos desastres naturais mais custosos da história dos EUA, disse um grupo de pesquisa de seguros no domingo.

No Texas, milhares de tropas da Guarda Nacional, policiais, equipes de resgate e civis correram para helicópteros, barcos e caminhões para resgatar milhares de presos nas enchentes, que transformaram as ruas em rios e causaram acúmulos de água até o peito em diversos bairros.

Em Cypress, Texas, Kayla Harvey, de 26 anos, estava monitorando o Facebook, descobrindo onde as pessoas estavam e organizando amigos com barcos para ajudar. “Isso é o que fazemos pela nossa comunidade. Nós não esperamos que alguém venha e nos ajude a sair e fazer isso”, disse ela.

Antes do Harvey, o último furacão de categoria 4 a causar estragos no Texas foi o Carla, em 1961.

Reportagem adicional de Peter Henderson, Mica Rosenberg, Erwin Seba, Nick Oxford e Ruthy Munoz, em Houston; Andy Sullivan, em Rockport, Texas; Jon Herskovitz, em Austin; Steve Holland e Jeff Mason, em Washington; e Brendan O'Brien, em Milwaukee

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below