18 de Setembro de 2017 / às 13:19 / em 3 meses

Exercícios militares na península coreana demonstram força contra Coreia do Norte

PEQUIM/SEUL (Reuters) - As Forças Armadas norte-americanas conduziram simulações de bombardeio com a Coreia do Sul na península coreana, e a Rússia e a China iniciaram exercícios navais, antes de uma reunião da Assembleia Geral da ONU, na terça-feira, em que a ameaça nuclear da Coreia do Norte deve ser motivo de grande preocupação.

Aviões de combate F-15 do Japão conduzem exercícios aéreos com bombardeiros B-1B dos Estados Unidos, sobrevoando o Mar da China Oriental 09/09/2017 Ministério de Defesa do Japão/Divulgação via REUTERS

A série de exercícios militares ocorreu depois que Pyongyang lançou outro míssil balístico de médio alcance sobre o Japão na sexta-feira, e que a reclusa Coreia do Norte conduziu seu sexto e mais poderoso teste nuclear no dia 3 de setembro, em desafio a sanções da ONU e à pressão internacional.

Uma dupla de bombardeiros B-1B e quatro jatos F-35 dos Estados Unidos decolaram de Guam e do Japão e se juntaram à quatro aviões F-15K da Coreia do Sul no exercício mais recente, disse o Ministério de Defesa sul-coreano.

Os exercícios militares conjuntos estão sendo conduzidos “de duas a três vezes por mês nesses dias”, disse o ministro de Defesa da Coreia do Sul, Song Young-moo, ao Parlamento, nesta segunda-feira.

Em Pequim, a agência de notícias oficial Xinhua disse que a China e a Rússia iniciaram exercícios navais no porto russo de Vladivostok, não muito longe da fronteira entre a Rússia e a Coreia do Norte.

Os exercícios estavam sendo conduzidos entre a Baía de Pedro o Grande, perto de Vladivostok, e a parte sul do Mar de Okhotsk, ao norte do Japão, disse.

As simulações são a segunda parte de exercícios navais conjuntos entre a Rússia e a China neste ano, cuja primeira parte foi conduzida no mar Báltico em julho. A agência Xinhua não relacionou diretamente os exercícios à atual tensão causada pela Coreia do Norte.

China e Rússia têm repetidamente pedido por uma solução pacífica e negociações para resolver a crise.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below