26 de Setembro de 2017 / às 12:18 / 3 meses atrás

Casal desafia furacão Maria para salvar animais de estimação em Porto Rico

YAUCO, Porto Rico (Reuters) - O furacão Maria devastou diversas partes de Porto Rico, mas não conseguiu separar Sandra Harasimowicz de seus amados animais de estimação.

Sandra Harasimowicz conversa com seu marido, enquanto ele carrega um de seus cachorros no telhado da casa de um vizinho, depois que Porto Rico foi atingido pelo furacão Maria 25/09/2017 REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

Ela e seu marido, Gary Rosario, disseram ter se abrigado no telhado de uma casa por horas na semana passada para salvar seus sete cachorros de um furacão que reduziu seu bairro a um lamaçal.

Sandra, uma polonesa de 43 anos, disse que o casal ficou preso com água até o pescoço depois que o furacão Maria atingiu sua casa na cidade de Yauco, na quarta-feira, os fazendo correr com seus cachorros para o telhado de um vizinho para escapar.

A tempestade, que deixou ao menos 10 mortos no território norte-americano, encheu a rua do casal de destroços e lama, depois que um rio transbordou nas proximidades.

A água entrou na casa do dois “como se fosse o fim do mundo”, disse Harasimowicz à Reuters, na segunda-feira.

Tentando manter os animais por perto durante o furacão, enquanto se segurava em painéis solares no telhado da casa vizinha, Harasimowicz disse ter assistido horrorizada quando um de seus cachorros pulou quatro vezes na corrente que alagou a rua.

Todas as vezes, Gary, que é da guarda nacional de Porto Rico, mergulhou em busca do cachorro para levá-lo de volta à segurança.

“Eu pensei que fosse perdê-lo; ele só fez isso porque ama muito os animais”, disse Sandra, cuja família vive na cidade de Poznan, no oeste da Polônia. “Eu disse: ‘É isso, eu estou perdendo os animais e estou perdendo meu marido’”.

Sandra explicou como o casal havia anteriormente colocado seus oito gatos na parte de cima dos armários da cozinha para enfrentar a tempestade, quando o nível da água começou a subir.

O casal já havia enviado seus filhos, de 6 e 12 anos de idade, para ficar na casa de um amigo antes da passagem do furacão.

Entretanto, como não conseguiram encontrar abrigos para seus gatos e cachorros, Harasimowicz disse que eles sentiram que deveriam ficar na região com os animais, em parte porque não acreditaram que a tempestade seria tão severa.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below