May 12, 2018 / 4:18 PM / 4 months ago

Primeiro ministro da Malásia proíbe antecessor de deixar o país

KUALA LUMPUR (Reuters) - O primeiro ministro da Malásia, Mahathir Mohamad, proibiu que seu antecessor, Najib Razak, saísse do país, dizendo que há evidências suficientes para investigar suas ligações com um escândalo de bilhões de dólares. 

Autoridades de imigração emitiram uma interdição a Najib e à sua mulher Rosmah Mansor apenas minutos depois que o ex-primeiro ministro afirmar que eles estavam deixando o país numa viagem de uma semana para descansar após sua derrota nas urnas. 

“É verdade que eu impedi que Najib saísse do país”, disse Mahathir em uma entrevista coletiva, acrescentando que teria feito isso para evitar problemas com a sua extradição posteriormente. 

“Há evidências suficientes para uma investigação sobre certas coisas que o ex-primeiro ministro fez, e se necessário, a lei será aplicada”, disse. 

Em um dia de muitos eventos, Mahathir também nomeou alguns de seus primeiros ministros, incluindo Lim Guan Eng, um ex-banqueiro e contador, como Ministro das Finanças. 

Lim é um ministro-chefe do estado de Penang, mas é amplamente desconhecido nos círculos financeiros internacionais. 

Também é apenas a segunda vez, desde que a Malásia se tornou independente há seis décadas, que um membro da minoria étnica chinesa é nomeado para o cargo. 

Mahathir também nomeou um ministro da Defesa e um ministro do Interior, mas disse que as outras indicações seriam feitas depois. Mahathir e a vice-primeira ministra Wan Azizah Wan Ismail, esposa de seu aliado Anwar Ibrahim, que está preso, compõe o restante do gabinete. 

Zeti Akhthar Aziz, que foi internacionalmente elogiado durante um período de 16 anos à frente do banco central do país, e o bilionário Robert Kuok estão entre os escolhidos para uma equipe especial que aconselhará o governo em assuntos econômicos e financeiros nos próximos 100 dias. 

Mahathir já foi primeiro-ministro do país, que tem maioria muçulmana malaia, por 22 anos, governando de maneira dura e belicosa. 

Ele afirma que o procurador-geral que havia inocentado Najib de qualquer acusação no escândalo de corrupção no fundo estatal 1Malaysia Development Berhad (1MDB), foi demitido. 

O procurador-geral, Apandi Ali, se recusou a comentar. 

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below