May 13, 2018 / 2:35 PM / 4 months ago

Rouhani diz que Irã pode permanecer como parte de acordo nuclear

DUBAI (Reuters) - O presidente do Irã, Hassan Rouhani, disse neste domingo que, se seus interesses forem protegidos, Teerã irá permanecer comprometida com seu acordo nuclear de 2015, que seu ministro das Relações Exteriores espera poder ser remodelado sem Washington.

A saída dos Estados Unidos do acordo, anunciada na terça-feira, é uma “violação de valores”, disse Rouhani em comentários transmitidos pela TV estatal.

“Se os cinco países remanescentes continuarem cumprindo o acordo, o Irã irá permanecer no acordo apesar da vontade da América”, disse ele durante um encontro com o presidente do Sri Lanka.

A saída do presidente dos EUA, Donald Trump, perturbou aliados europeus de Washington, levantou incertezas sobre fornecimento global de petróleo e aumentando o risco de conflito no Oriente Médio.

A saída também realçou divisões entre a elite política do Irã.

Rouhani fez comentários semelhantes e conciliatórios na terça-feira, e no sábado seu ministro das Relações Exteriores, Mohammad Javad Zarif, embarcou em uma viagem para outros países signatários do acordo, relatou a mídia estatal, em uma tentativa de último minuto para salvá-lo.

Após desembarcar em Pequim neste domingo, Zarif disse: “Nós esperamos que com esta visita à China e a outros países, nós possamos construir um modelo futuro claro para o abrangente acordo nuclear”.

O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, disse acreditar que a viagem de Zarif irá “aumentar o entendimento de países sobre a posição do Irã” e ajudar Teerã a proteger seus “interesses nacionais legítimos”.

Rouhani disse que o Irã continuará comprometido com o acordo, que o Reino Unido, China, França, Alemanha e Rússia também assinaram, desde que estas potências possam garantir que o Irã esteja protegido de sanções contra setores importantes de sua economia, como petróleo.

Os três Estados europeus também se comprometeram novamente com o acordo, mas o clérigo sênior aiatolá Ahmad Khatami disse a fieis na Universidade de Teerã na sexta-feira que não se deve confiar na Europa.

O chefe da Guarda Revolucionária também alertou contra confiar em potências estrangeiras para garantir os interesses do Irã.

“A saída da América tem objetivo de quebrar a resistência do povo iraniano, o que não é novo... mas os problemas de hoje não são as sanções dos EUA, são que algumas autoridades olham para fora, ao invés de olharem para potenciais domésticos”, disse o chefe da Guarda, general Mohammad Ali Jafari, segundo a agência de notícias estatal Irna.

Na quarta-feira, Jafari havia levantado dúvida sobre a capacidade de países europeus de salvar o acordo nuclear.

Com o acordo em terreno instável em face da feroz oposição de linhas-duras em casa, alguns analistas dizem que o pragmático Rouhani enfrenta a possibilidade de cumprir seu segundo mandato com menos influência.

Reportagem da Redação de Dubai; Reportagem adicional de Christian Shepherd, em Pequim

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below