June 4, 2018 / 7:22 PM / 4 months ago

Rússia condena jornalista ucraniano a 12 anos por espionagem

MOSCOU (Reuters) - Um tribunal da Rússia sentenciou o jornalista ucraniano Roman Sushchenko a 12 anos de prisão nesta segunda-feira depois de condená-lo por espionagem em um caso que seu advogado e a Ucrânia disseram ter sido fabricado por razões políticas.

Protesto contra prisão do jornalista Sushchenko perto de embaixada russa em Kiev 6/10/2016 REUTERS/Gleb Garanich

As relações entre Moscou e Kiev estão tensas desde 2014, quando uma revolta popular tirou um presidente pró-Rússia do poder. Mais tarde a Rússia anexou a Crimeia da Ucrânia e apoiou uma insurgência separatista pró-russa no leste do país vizinho.

O serviço de segurança estatal russo FSB deteve Sushchenko, de 49 anos, em 2016 depois que ele voou a Moscou vindo de Paris, onde trabalhou como correspondente da agência de notícias estatal ucraniana Ukrinform.

O FSB acusou Sushchenko de trabalhar para a inteligência militar de seu país e de reunir informações confidenciais sobre os militares russos, acusações que ele negou.

    Mark Feygin, advogado de Sushchenko, disse nesta segunda-feira que uma corte de Moscou sentenciou seu cliente a 12 anos em uma prisão de segurança máxima depois de condená-lo e que apelará.

“Consideramos Roman Sushchenko inocente, mas em tais casos só resultados políticos são possíveis”, disse Feygin aos repórteres após o veredicto.

    O próprio Feygin foi privado de sua condição de advogado durante o julgamento, uma medida que ele acredita ter ligação com seu trabalho em defesa de Sushchenko.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below