August 21, 2018 / 12:57 PM / in 3 months

EUA deportam para Alemanha homem acusado de ser guarda nazista preso em NY

Estudantes protestam em frente à casa de Jakiw Palij em Nova York 24/04/2017 REUTERS/Mike Segar

(Reuters) - Um morador da cidade de Nova York que se acredita ter sido guarda de um campo de trabalho nazista na Polônia foi preso e deportado pelas autoridades de imigração norte-americanas, informou a Casa Branca nesta terça-feira.

Cumprindo uma ordem de deportação de 2004, a Agência de Imigração e Alfândega dos EUA colocou Jakiw Palij, hoje com 95 anos, sob custódia e o enviou à Alemanha, disse a Casa Branca em um comunicado.

Palij nasceu na Polônia e emigrou para os Estados Unidos em 1949, tornando-se cidadão norte-americano oito anos depois, segundo a Casa Branca, mas ocultou seu serviço para os nazistas ao emigrar.

Em 2001 Palij disse a autoridades do Departamento de Justiça que treinou no Campo de Treinamento da SS nazista em Trawniki, na Polônia ocupada pelos alemães, em 1943, segundo a Casa Branca.

Um juiz federal revogou sua cidadania em 2003 e ele foi alvo de uma ordem de deportação no ano seguinte, mas nenhum país europeu quis aceitá-lo, de acordo com reportagens da rede CNN e da revista New York.

Palij serviu como guarda no Campo de Trabalho de Trawniki, onde 6 mil homens, mulheres e crianças judeus foram mortos a tiros em 3 de novembro de 1943, um dos maiores massacres do Holocausto, disse a Casa Branca.

Por Brendan O'Brien, em Milwaukee

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below