August 22, 2018 / 10:40 PM / a month ago

Declarações de Bolton provam que EUA atacam Turquia em guerra econômica, diz porta-voz de Erdogan

ANCARA (Reuters) - O porta-voz do presidente turco, Tayyip Erdogan, disse nesta quarta-feira que os comentários do conselheiro de segurança nacional dos EUA a respeito da situação econômica da Turquia é prova de que o governo norte-americano está alvejando um aliado da Otan como parte de uma guerra econômica.

Presidentes dos EUA, Donald Trump, e da Turquia, Tayyip Erdogan, conversam durante encontro da Otan, em Bruxelas 11/07/2018 Tatyana Zenkovich/Pool via REUTERS

Em uma declaração por escrito em resposta a uma entrevista que John Bolton concedeu à Reuters, o porta-voz de Erdogan, Ibrahim Kalin, disse que as políticas mais recentes do governo dos EUA estão em desacordo com os princípios e valores fundamentais da Otan.

Turquia e Estados Unidos estão envolvidos em uma profunda disputa focada em um pastor norte-americano sendo julgado por acusações de terrorismo na Turquia. A crise provocou uma forte queda da lira, que perdeu mais de um terço do seu valor em relação ao dólar este ano.

Bolton havia dito durante uma visita a Israel que estava cético sobre a promessa de 15 bilhões de dólares em investimento à Turquia feito pelo emir do Catar, que era “insuficiente para ter um impacto sobre a economia da Turquia”.

“A declaração dele é a prova de que o governo Trump está alvejando um aliado da Otan como parte de uma guerra econômica”, disse Kalin.

“O governo Trump determinou que pretende usar o comércio, as tarifas e as sanções para iniciar uma guerra comercial global”, declarou ele, apontando para disputas similares com México, Canadá, Europa e China.

“A Turquia não tem intenção de iniciar uma guerra econômica com qualquer lado. Não se pode esperar, porém, que se mantenha em silêncio diante dos ataques contra a economia e o Judiciário”, afirmou.

Kalin disse que a Turquia trabalharia com o restante do mundo contra medidas restritivas e punitivas.

“As políticas mais recentes do governo dos EUA estão em desacordo com os princípios e valores fundamentais da aliança da Otan”, acrescentou.

“DESRESPEITO”

O porta-voz do presidente turco criticou ainda o que considerou desrespeito dos Estados Unidos pelo processo legal da Turquia, acrescentando que Washington fez exigências e comentários arbitrários no caso do pastor detido.

Kalin pediu aos EUA que respeitem a independência judicial da Turquia, uma das respostas mais contundentes de Ancara às críticas sobre a detenção do pastor cristão evangélico Andrew Brunson.

“Há um Estado de Direito na Turquia e o caso de Andrew Brunson é uma questão legal. Há um processo legal em andamento relacionado a esse indivíduo”, afirmou Kalin na declaração à Reuters.

“É evidente que consideramos inaceitável o desrespeito ao processo legal pelos Estados Unidos, que vem fazendo certas exigências.”

Seus comentários foram feitos depois que Bolton disse à Reuters que a Turquia cometeu um “grande erro” ao não libertar Brunson.

O pastor evangélico, que vive na Turquia há duas décadas, foi condenado a 21 meses de prisão por acusações de terrorismo, que ele nega. Atualmente ele está sob prisão domiciliar.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below