October 1, 2018 / 10:18 PM / 2 months ago

Israel busca “justificar outra agressão” com declarações falsas sobre mísseis, diz Líbano

BEIRUTE (Reuters) - O ministro das Relações Exteriores do Líbano disse nesta segunda-feira que Israel está tentando “justificar outra agressão” ao alegar falsamente que há locais de mísseis próximos ao aeroporto de Beirute pertencentes ao Hezbollah, apoiado pelo Irã.

Ministro das Relações Exteriores do Líbano, Gebran Bassil, durante reunião em Moscou 20/08/2018 REUTERS/Maxim Shemetov

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, falando na Organização das Nações Unidas na semana passada, identificou três locais próximos ao aeroporto onde disse que o grupo xiita Hezbollah está convertendo “projéteis imprecisos” em mísseis de precisão.

O ministro das Relações Exteriores do Líbano, Gebran Bassil, falando a embaixadores estrangeiros antes de levá-los em um tour pela área, disse que há “muitas declarações ... afirmando a posse de mísseis de precisão pelo Hezbollah”.

Mas acrescentou: “Isto não significa que estes mísseis estão presentes nas redondezas do aeroporto de Beirute.”

Bassil acompanhou os diplomatas, que incluíam enviados russos e iranianos, e jornalistas em uma excursão a três locais próximos ao aeroporto, incluindo instalações do time de futebol libanês Al-Ahed, que Israel identificou como um dos locais.

Em resposta, Netanyahu disse mais tarde nesta segunda-feira que o Hezbollah havia mentido à comunidade internacional. Os diplomatas foram levados ao campo de futebol, mas não a um local subterrâneo adjacente ao local onde a fábrica de mísseis está localizada, disse.

“Os embaixadores deveriam se perguntar o motivo de terem esperado três dias até que realizassem a excursão. O Hezbollah regularmente garante a limpeza de locais que foram expostos”, disse Netanyahu em comunicado.

Bassil, um aliado político do Hezbollah, disse que Israel tinha objetivo de “falsificar fatos a respeito do Líbano e vocalizar mentiras que carregam as sementes de uma ameaça que não nos assusta”.

Netanyahu havia usado a plataforma da Assembleia-Geral da ONU “para justificar outra agressão contra um país soberano como o Líbano”.

O Hezbollah, fundado pela Guarda Revolucionária Iraniana em 1982, lutou um grande conflito contra Israel pela última vez em 2006. O grupo se fortaleceu desde então, notavelmente através de seu papel na guerra síria lutando em apoio ao presidente Bashar al-Assad.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below