October 4, 2018 / 10:06 PM / 17 days ago

Republicanos querem confirmação de Kavanaugh no fim de semana; democratas criticam relatório do FBI

Por David Morgan e Amanda Becker

Juiz indicado à Suprema Corte dos EUA Brett Kavanaugh 27/09/2018 Win McNamee/Pool via Reuters

WASHINGTON (Reuters) - Confiança aumentou entre colegas republicanos do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, nesta quinta-feira de que Brett Kavanaugh irá receber confirmação do Senado à Suprema Corte dos Estados Unidos, após comentários positivos de dois parlamentares hesitantes sobre um relatório do FBI acerca de acusações de condutas sexuais impróprias cometidas pelo juiz.

O relatório, enviado pela Casa Branca ao Comitê Judiciário do Senado no meio da noite, foi denunciado por democratas como uma farsa que teve escopo muito limitado e que ignorou testemunhas importantes. Mas republicanos seguiram em frente com planos para uma votação processual na sexta-feira e uma votação final no sábado para confirmação do conservador juiz federal da corte apelações escolhido por Trump para um cargo vitalício no tribunal mais alto do país.

    O relatório do FBI representou a última mudança em uma batalha política sobre Kavanaugh e comentários de dois importantes senadores republicanos – Jeff Flake e Susan Collins – indicaram que o relatório pode ter aliviado preocupações que possuíam sobre o juiz. Flake contribuiu para fazer com que Trump ordenasse a investigação do FBI na sexta-feira da semana passada.

Republicanos controlam o Senado por pequena margem, o que significa que votos destes dois senadores seriam cruciais para garantir a confirmação de Kavanaugh.

    Collins disse que a investigação aparentava ser detalhada, enquanto Flake disse não ter visto informações adicionais corroborando contra Kavanaugh, embora tenha dito que “ainda estava lendo” o relatório.

    Uma senadora democrata anteriormente indecisa, Heidi Heitkamp, disse que irá votar contra Kavanaugh, citando “preocupações sobre suas condutas passadas” e questões sobre “temperamento, honestidade e imparcialidade” após seu nervoso e desafiador depoimento há uma semana ao Comitê Judiciário do Senado. A decisão de Heitkamp deixa o senador Joe Manchin como o único democrata indeciso.

    A maior parte dos democratas se opôs à nomeação de Kavanaugh desde o início. Se confirmado, ele irá aprofundar o controle conservador da corte. A acentuada batalha partidária se tornou um intenso drama político quando três mulheres acusaram Kavanaugh de condutas sexuais impróprias na década de 1980, quando ele estava no ensino médio e na faculdade. Kavanaugh negou as acusações.

    A batalha sobre Kavanaugh tem atordoado norte-americanos semanas antes das eleições de 6 de novembro, nas quais democratas tentam tomar o controle do Congresso de republicanos.

    “Isto cheira a farsa”, disse o senador democrata Richard Blumenthal a repórteres, dizendo que o relatório não deveria dar cobertura política para republicanos votarem em Kavanaugh porque “é descaradamente incompleto”.

    A senadora democrata Dianne Feinstein destacou que o FBI não entrevistou o próprio Kavanaugh ou Christine Blasey Ford, uma professora universitária que acusou Kavanaugh de abuso sexual em 1982.

Milhares de manifestantes, alguns levantando cartazes dizendo “Acreditem em Sobreviventes” e “Kava-Nope”, protestaram na frente da Suprema Corte em oposição a Kavanaugh, cuja indicação se tornou um ponto para o movimento #MeToo contra assédios e abusos sexuais. A batalha pela nomeação se resumiu a um conflito de “ele disse, ela disse”, exigindo que senadores se decidam entre relatos opostos fornecidos por Kavanaugh e Ford.

    Trump, acusado por diversas mulheres durante a corrida presidencial de 2016 de condutas sexuais impróprias, escreveu no Twitter que o relatório do FBI mostra que as acusações contra Kavanaugh são “totalmente não corroboradas”.

    O relatório não foi divulgado ao público. Senadores tiveram permissão de ler o documento a portas fechadas em um local seguro no Capitólio, sem fazer cópias ou anotações.

    Um assessor republicano sênior do Senado disse que há crescente confiança de que Collins, Flake e Manchin – todos os votos indecisos – irão apoiar Kavanaugh. Se for o caso, isto pode ser suficiente para uma vitória de Trump nesta batalha. Outra figura republicana indecisa, a senadora Lisa Murkowski, não expressou sua opinião sobre o relatório do FBI.

    O porta-voz da Casa Branca Raj Shah disse que o governo Trump está “completamente confiante” de que Kavanaugh possui o apoio necessário.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below