October 10, 2018 / 7:13 PM / 13 days ago

Furacão Michael toca solo na Flórida com ventos violentos

TALLAHASSEE, Estados Unidos (Reuters) - O furacão Michael chegou à região do ‘panhandle’ na Flórida, no noroeste do Estado, nesta quarta-feira, provocando alagamentos e arrancando árvores com ventos de 249 quilômetros por hora e potencial para uma escalada devastadora.

Ondas atingem casa com a chegada do furacão Michael à Flórida 10/10/2018 REUTERS/Carlo Allegri

Michael, que pegou muitos de surpresa com sua rápida intensificação ao se voltar na direção norte, sobre o Golfo do México, foi a tempestade mais forte da história a atingir o ‘Panhandle’, e ganhou força ao se aproximar do continente.

Ele tocou o solo no noroeste da cidade de Mexico Beach na tarde desta quarta-feira como um furacão Categoria 4 na escala de cinco pontos Saffir-Simpson, pouco abaixo da extremamente rara categoria 5.

A tempestade, que causou uma grande interrupção da produção de petróleo e gás no Golfo do México dos EUA, pode elevar os níveis do mar até 4,3 metros acima do normal em algumas áreas, disse o Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês).

“Meu Deus, é assustador. Eu não esperava tudo isso”, disse Bill Manning, de 63 anos, um funcionário de supermercado que deixou sua van em Panama City, na Flórida, para se abrigar em um hotel que já estava sem energia.

“Panama City, eu não sei se vai sobrar muita coisa”.

Pessoas em partes costeiras de 20 condados da Flórida foram orientadas a deixar suas casas, mas na manhã de quarta-feira ouviram que era tarde demais para fugir. Boa parte da área afetada é rural e conhecida por pequenas cidades turísticas, praias e reservas naturais, bem como a capital do Estado, Tallahassee.

Mesmo antes do Michael tocar o solo completamente, ele estava arrancando árvores com seus ventos e provocou enchentes na cidade de Apalachicola, onde houve relatos de mais de 1,5 metro de água, e em Port St. Joe.

“Parece que você não sabe quando a próxima árvore cairá em cima de você porque está ventando tão ferozmente”, disse o prefeito de Port St. Joe, Bo Patterson. “Você só não sabe quando a próxima vai cair. É muito, muito assustador. Nós temos árvores sendo levantadas pela raiz, chuva pesada, pesada”.

Por Devika Krishna Kumar; reportagem adicional de Rod Nickel, Susan Heavey, Steve Holland, Roberta Rampton, Gina Cherelus, Barbara Goldberg, Brendan O'Brien, Liz Hampton, Andrew Hay

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below