October 18, 2018 / 1:16 PM / 2 months ago

Vitória democrata em eleição de novembro nos EUA aumentará questionamentos sobre Trump

Por Amanda Becker e Richard Cowan e David Morgan

Visão geral do prédio do Capitólio em Washington, Estados Unidos 20/12/2016 REUTERS/Joshua Roberts

WASHINGTON (Reuters) - Uma vitória dos democratas nas eleições de novembro para a Câmara dos Deputados e o Senado dos Estados Unidos colocará quase todos os aspectos do governo do presidente Donald Trump sob escrutínio dos parlamentares, de declarações de imposto de renda jamais reveladas de Trump a possíveis laços comerciais com a Rússia e conflitos de interesse, disseram fontes do Congresso.

Embora diversos inquéritos sejam esperados se os democratas conquistarem uma maioria nas eleições de 6 de novembro, a ordem e a abrangência de tais investigações só começou a emergir em conversas recentes entre líderes partidários e possíveis presidentes de comissões parlamentares.

Os líderes são claros sobre o que não está em pauta: o impeachment de Trump — ao menos até a conclusão do inquérito do procurador especial Robert Mueller sobre a interferência russa nas eleições de 2016 e um possível conluio da campanha de Trump com Moscou.

Mas assessores parlamentares dizem que os democratas agirão rápido para obter as declarações do IR de Trump para procurar laços comerciais com a Rússia e possíveis conflitos com o presidente, os negócios de sua família e os interesses do governo, além do possível exame da maneira como ele usa suas autorizações de segurança.

Trump se recusou a divulgar suas declarações de imposto, ao contrário de presidentes norte-americanos recentes.

Pesquisas mostram que os republicanos provavelmente perderão o comando da Câmara, mas podem aumentar sua maioria no Senado. Poucos assessores parlamentares e líderes falam abertamente sobre a agenda investigativa dos democratas.

Maiorias democratas na Câmara ou no Senado renderiam mais dinheiro e mão de obra para investigações que podem minar a agenda de Trump, mas assessores disseram que mesmo assim os democratas buscarão alguma cooperação bipartidária, a menos que sua iniciativa pareça política demais antes das eleições presidenciais de 2020.

O líder republicano no Senado, Mitch McConnell, disse em uma entrevista à Reuters que existe o risco de os inquéritos dos democratas “lembrarem o final dos anos 1990, quando achávamos que o impeachment de Bill Clinton era uma boa ideia politicamente e o público ficou furioso conosco e sentiu pena dele”.  

“Pode acabar não funcionado nada bem para eles”, acrescentou.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below