November 15, 2018 / 5:16 PM / a month ago

EUA anunciam sanções contra 17 sauditas por papel em assassinato de jornalista

WASHINGTON (Reuters) - O Tesouro dos Estados Unidos anunciou nesta quinta-feira sanções contra 17 sauditas por seu papel no assassinato de Jamal Khashoggi no consulado do país em Istambul, na primeira resposta concreta do governo de Donald Trump à morte do jornalista no mês passado.

Os alvos da sanção incluem Saud al-Qahtani, ex-assessor de alto escalão do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, bem como o cônsul-geral saudita Mohammed Alotaibi.

As sanções serão implementadas sob o Ato Global de Responsabilidade dos Direitos Humanos Magnitsky, que tem como alvo autores de graves abusos de direitos humanos e corrupção. O anúncio foi incomum para Washington, que raramente impõe sanções sobre Riad.

“Esses indivíduos que miraram e brutalmente assassinaram um jornalista que residia e trabalhava nos Estados Unidos devem enfrentar as consequências de suas ações”, afirmou o secretário do Tesouro, Steve Mnuchin, em comunicado.

Ele acrescentou que Washington continuava tentando determinar o que aconteceu e responsabilizaria todos os encarregados da morte de Khashoggi.

“O governo da Arábia Saudita deve tomar medidas apropriadas para acabar com a perseguição a dissidentes políticos ou jornalistas”, disse Mnuchin.

Reportagem adicional de Matt Spetalnick

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below