November 25, 2018 / 2:19 PM / 18 days ago

UE concorda com "melhor acordo possível" para o Brexit e pede que britânicos apoiem May

BRUXELAS (Reuters) - Líderes da União Europeia alertaram o parlamento britânico a não arruinar o acordo Brexit de Theresa May, dizendo que um pacote acordado com a primeira-ministra neste domingo foi o melhor que o Reino Unido conseguirá.

“Aqueles que acham que, ao rejeitarem o acordo, conseguirão um acordo melhor, ficarão desapontados”, disse o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, após 27 outros líderes da UE endossarem formalmente os termos do tratado para a retirada britânica em março, além de um esboço de um futuro pacto comercial entre a UE e o Reino Unido.

Perguntado se haveria alguma chance de Bruxelas reabrir o pacto, caso uma aliança de forças pró e anti-Brexit o derrotasse na Câmara dos Comuns, Juncker simplesmente enfatizou “este é o melhor acordo possível” - embora o presidente da cúpula, Donald Tusk, tenha soado mais cauteloso, dizendo que não queria considerar hipóteses.

May usou uma coletiva de imprensa pós-cúpula para divulgar seu plano, dizendo aos telespectadores em casa que era o “único acordo possível”, oferecendo controle das fronteiras e orçamentos do Reino Unido, mantendo uma estreita cooperação com as normas da EU favoráveis aos negócios e à segurança da região mais ampla.

“Em qualquer negociação, você não consegue tudo o que quer. Acho que o povo britânico entende isso”, disse May.

A votação do Parlamento poderia abrir portas para um “futuro mais promissor” ou condenar o país a mais divisão, disse ela.

Defenderei o acordo com todo o meu coração”, acrescentou, recusando-se a responder se renunciaria caso o parlamento o rejeitasse.

A chanceler alemã, Angela Merkel, força veterana do bloco, ecoou a relutância em especular sobre o que ela chamou de “dia histórico”, que foi “trágico e triste”. Mas o chanceler austríaco Sebastian Kurz, cujo país preside as reuniões da UE até o final do ano, disse que não poderia haver mais negociações.

“Não há plano B”, disse o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte. “Se alguém no Reino Unido pensa que se, votando não, algo de melhor sairia disso, está errado”.

Reportagem de Jan Strupczewski, Foo Yun Chee, Philip Blenkinsop, Alastair Macdonald, Peter Maushagen, Jean-Baptiste Vey, Robin Emmott e Belen Carreno em Bruxelas

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below