November 27, 2018 / 6:45 PM / 12 days ago

Defasagem de corte de gases de efeito estufa está crescendo, alerta ONU

PARIS (Reuters) - Em 2030, as emissões globais de gases de efeito estufa podem estar entre 13 bilhões e 15 bilhões de toneladas acima do nível necessário para manter o aquecimento global abaixo dos 2 graus Celsius neste século, estimou um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta terça-feira.

O nono relatório anual do Programa Ambiental das Nações Unidas (Unep) analisou o impacto das metas e diretrizes de cortes de emissões e se elas bastam para impedir que a temperatura global média ultrapasse um patamar mais seguro abaixo de 2 graus Celsius.

A avaliação antecedeu por pouco uma conferência climática da ONU, que transcorre na Polônia entre 2 e 14 de dezembro. As conversas produzirão um “livro de instruções” sobre como implantar o Acordo de Paris de 2015, que almeja limitar a elevação das temperaturas globais para algo entre 1,5 e 2 graus Celsius.

O Unep disse que as emissões anuais de gases de efeito estufa alcançaram o recorde de 53,5 bilhões de toneladas em 2017 depois de três anos de decréscimo – e não se prevê que atinjam um pico em 2030, muito menos em 2020.

Mas em 2030 as emissões terão que estar em torno de 25 por cento e 55 por cento mais baixas do que no ano passado para que o mundo consiga limitar o aquecimento global a 2 graus Celsius e 1,5 grau Celsius respectivamente, segundo o relatório.

“Emissões maiores e falta de ação significam que a cifra da defasagem no relatório deste ano é maior do que nunca”, afirmou o documento.

Prevê-se que as atuais políticas climáticas diminuirão as emissões em até 6 bilhões de toneladas até 2030, o que implica um aquecimento global de cerca de 3 graus Celsius até 2100 e a continuação da elevação das temperaturas.

“Se a defasagem das emissões não for eliminada até 2030, é muito plausível que o objetivo de um aumento de temperatura bem abaixo de 2 graus Celsius também esteja fora de alcance”, disse o relatório.

Para manter o aquecimento abaixo desse valor, os países precisam triplicar seus esforços atuais. Para a meta mais ambiciosa de 1,5 grau Celsius, eles precisam elevar estas ambições cinco vezes.

Na atualidade as 20 maiores economias do mundo como um todo não estão a caminho de cumprir seus compromissos para 2030, segundo o Unep.

Análises e revisões do progresso comparadas aos compromissos assumidos pelos países para reduzir suas emissões em respeito ao Acordo de Paris, as chamadas Contribuições Determinadas Nacionalmente (NDCs), mostraram que estes são insuficientes.

Um impulso adicional veio no mês passado em um relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas da ONU (IPCC), que disse que manter o aumento da temperatura da Terra em 1,5 grau Celsius exigirá mudanças rápidas e inéditas.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below