March 7, 2019 / 11:36 AM / 6 months ago

Venezuela liberta jornalista norte-americano após um dia sob custódia

CARACAS (Reuters) - O governo da Venezuela libertou um jornalista norte-americano e um colega venezuelano na quarta-feira, após os dois passarem mais de 12 horas sob custódia em uma medida que provocou nova represália internacional contra o governo do presidente Nicolás Maduro.

Jornalista norte-americano Cody Weddle em Caracas WPLG LOCAL 10/via Reuters

Na mais recente reação à tentativa do líder da oposição Juan Guaidó de desafiar o governo, Maduro também expulsou o embaixador alemão, acusando-o de repetidas intromissões nos assuntos venezuelanos. Os Estados Unidos disseram que o país deve impor sanções aos bancos da Venezuela para aumentar a pressão sobre Maduro para deixar o cargo.

A maioria dos países ocidentais, incluindo os Estados Unidos e a Alemanha, reconheceu Guaidó como o legítimo chefe de Estado do país da Opep e apoia seu plano de instalar um governo de transição e convocar eleições livres. Guaidó diz que a reeleição de Maduro em 2018 resultou de uma votação fraudulenta e o culpa por um colapso econômico que levou à escassez generalizada e à hiperinflação.

Maduro —que diz ser vítima de uma tentativa de golpe e de uma “guerra econômica” liderada pelos Estados Unidos— mantém o controle das funções estatais e o apoio das Forças Armadas.

Agentes militares da contrainteligência venezuelana detiveram o jornalista norte-americano Cody Weddle e seu colega venezuelano Carlos Camacho na manhã de quarta-feira, informou no Twitter o Sindicato Nacional da Imprensa da Venezuela.

Camacho foi libertado à noite depois de 12 horas sob custódia, afirmou o sindicato, enquanto a estação de televisão de Miami WPLG Local 10 disse que Weddle também havia sido solto e estava no principal aeroporto de Caracas esperando para embarcar em um voo para os EUA.

A WPLG, um dos canais para os quais Weddle trabalha, não citou suas fontes sobre a libertação do jornalista, mas disse que a mãe dele ficou “aliviada” ao saber das novidades. A Reuters não conseguiu contactar Weddle para comentários.

O Ministério da Informação da Venezuela não respondeu imediatamente a um pedido de comentário sobre a libertação. O governo não comentou sobre a detenção durante todo o dia.

A prisão de Weddle, ocorrida uma semana após a Venezuela deportar uma equipe da rede de televisão Univision, foi condenada por Guaidó, pelo secretário-geral da Organização dos Estados Americanos, Luis Almagro, e por vários parlamentares norte-americanos de ambos os partidos.

Kimberly Breier, a principal diplomata dos EUA no hemisfério ocidental, disse no Twitter que o Departamento de Estado estava “ciente e profundamente preocupado com relatos de que outro jornalista americano foi detido na Venezuela”, sem citar Weddle.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below