April 10, 2019 / 7:10 PM / 5 months ago

Raúl Castro diz que Cuba não vai abandonar Venezuela apesar de "chantagem" dos EUA

HAVANA (Reuters) - O líder do Partido Comunista de Cuba Raúl Castro disse na quarta-feira que Cuba nunca abandonará sua aliada Venezuela, apesar da “chantagem” dos Estados Unidos, ameaça impor mais sanções devido a esse apoio.

Raúl Castro discursa na Assembleia Nacional 10/04/2019 Irene Perez/Cortesia Cubadebate/Divulgação via REUTERS

Raúl denunciou também, durante uma reunião da Assembleia Nacional para aprovar uma nova Constituição, o que classificou como novas tentativas dos Estados Unidos para destruir a revolução de esquerda de seu país.

“Temos dito ao governo dos EUA que Cuba não tem medo e continuará construindo o futuro da nação sem interferência externa”, disse Raúl aos parlamentares, acrescentando que o governo do presidente venezuelano Nicolás Maduro também está “escrevendo páginas admiráveis de resistência”.

    As prioridades de Cuba são a economia e a prontidão defensiva diante da hostilidade norte-americana, disse.

    O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, disse ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta quarta-feira que sua nação anunciará ações adicionais para responsabilizar Cuba por seu apoio à Venezuela.

“Jamais abandonaremos nosso dever de agir em solidariedade com a Venezuela”, disse o dirigente cubano. “Nós rejeitamos fortemente todos os tipos de chantagem.”

A adoção de uma nova Constituição permitirá ao governo cubano realizar uma atualização modesta de seu sistema centralizado de partido único, e se esperam dezenas de leis para tudo, do sistema de Justiça a estruturas políticas.

    Muitos observadores têm esperança de que o governo atualizará mais a economia estatizada ainda ineficiente, que sofre com o encolhimento da ajuda da Venezuela e o endurecimento do embargo econômico dos EUA desde que Donald Trump se tornou presidente.

    A escassez de produtos básicos aumentou recentemente, aí incluídos farinha, ovos e frango e o Estado reduziu até o tamanho e a circulação de seus jornais por causa da falta de papel.

    Também nesta quarta, Raúl disse que a perspectiva econômica difícil não significará a volta da crise profunda que Cuba viveu após o colapso de sua ex-benfeitora União Soviética em 1991, já que a economia se diversificou deste então.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below