April 13, 2019 / 5:06 PM / 7 months ago

Governo da Venezuela comemora dia da mílicia enquanto Guaidó visita castigado Estado de Zulia

CARACAS/MARACAIBO (Reuters) - O governo do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, comemorará neste sábado o dia da milícia, o que chama de sua primeira linha de defesa, enquanto o líder opositor Juan Guaidó irá a Zulia, um Estado petroleiro outrora rico que agora sofre cortes recorrentes de energia elétrica.

O governo de Maduro, sob pressão internacional encabeçada pelos Estados Unidos para que abandone o poder, convocou neste sábado um ato em Caracas lembrando uma tentativa de golpe de estado em abril de 2002 contra o então presidente Hugo Chávez, uma data em que também se celebra o dia das milícias.

A milícia, criada por Chávez em 2008, é formada por civis voluntários, depende da presidência e complementa as Forças Armadas.

Maduro disse em dezembro que a milícia bolivariana tem 1,6 milhão de membros, mais do que o triplo registrado no início de 2018, quando eram “quase 400 mil” pessoas, e que sua principal missão é defender o território do que foi descrito como possíveis agressões externas pelos EUA, Colômbia e Brasil.

Guaidó, por sua vez, viajou na noite de sexta-feira a Maracaibo, capital do Estado de Zulia, no noroeste do país, para iniciar neste sábado um percurso por diferentes locais da quente região.

“Estamos aqui para constatar a situação... seu sofrimento”, disse Guaidó a jornalistas depois de visitar a Basílica de Nossa Senhora de Chiquinquirá, patrona de Zulia.

Por Vivian Sequera em Caracas e Mariela Nava em Maracaibo

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below