April 20, 2019 / 6:28 PM / 5 months ago

Kosovo repatria combatentes e famílias de jihadistas que estavam na Síria

PRISTINA (Reuters) - O Kosovo recebeu de volta neste sábado 110 de seus cidadãos que estavam na Síria, incluindo jihadistas que combateram na guerra civil síria e 74 crianças, disse o governo.

Policiais escoltam mulheres e crianças que são parentes de combatentes do país que lutaram na Síria. 20/4/2019. REUTERS/Laura Hasani -

Desde o colapso do autodeclarado califado do Estado Islâmico na Síria e no Iraque, vários países têm enfrentado dificuldades para lidar com militantes que querem retornar com suas famílias.

A população do Kosovo, que declarou independência da Sérvia em 2008, é composta em 90 por cento por muçulmanos, mas o país tem instituições na maioria seculares.

Mais de 300 cidadãos sírios do Kosovo foram para a Síria desde 2012, e 70 homens que combateram por grupos militantes foram mortos.

“Hoje nas primeiras horas da manhã uma importante e sensível operação foi organizada, em que o governo do Kosovo, com a ajuda dos Estados Unidos, trouxe de volta 110 de seus cidadãos da Síria”, disse o ministro da Justiça do Kosovo, Abelard Tahiri.

Tahiri não especificou o papel desempenhado pelos Estados Unidos, mas um avião com a bandeira norte-americana foi visto na área de carga do aeroporto de Pristina no momento em que a operação era conduzida.

Ao ser questionado sobre o retorno de combatentes ao Kosovo e sobre uma volta separada de um combatente para a Bósnia, o porta-voz das Forças Armadas dos EUA Sean Robertson disse que “os recursos dos EUA foram usados em apoio a essa operação de repatriação”.

Segundo as autoridades, entre aqueles que voltaram estão quatro combatentes, 32 mulheres e 74 crianças, incluindo nove que estão sem os pais.

Os quatro combatentes foram imediatamente presos, e o procurador do país disse que eles serão processados em breve.

Após diversas horas no aeroporto, dois ônibus repletos de mulheres e crianças seguiram sob escolta policial para instalações do exército nos arredores de Pristina.

A polícia disse que 30 combatentes oriundos do Kosovo, 49 mulheres e oito crianças ainda estavam nas zonas de conflito.

Agências de segurança locais e internacionais alertaram previamente sobre o risco do retorno de combatentes. Em 2015, o Kosovo aprovou uma lei que prevê penas de até 15 anos de prisão para quem combater em conflitos estrangeiros.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below