May 1, 2019 / 9:41 PM / 4 months ago

Conservadores querem que bispos católicos denunciem Papa como herege

Papa Francisco em seu discurso semanal no Vaticano. 1/5/2019. REUTERS/Yara Nardi

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - Um grupo de 19 padres católicos e acadêmicos exigiram que bispos denunciem o Papa Francisco como um herege, na última investida ultra-conservadora contra o pontífice, a partir de assuntos como a comunhão para os divorciados até a diversidade religiosa. 

O mais influente do grupo é o padre Aidan Nichols, um britânico de 70 anos da ordem dos Dominicanos que já escreveu vários livros e é um dos mais reconhecidos teólogos de língua inglesa. Os demais são menos conhecidos. 

“Tomamos essa medida como um último recurso para responder aos danos acumulados pelas palavras e ações do Papa Francisco ao longo de vários anos e que abriram caminho para uma das maiores crises na história da Igreja Católica”, disse o grupo em uma carta aberta de 20 páginas. 

A carta ataca Franscico por supostamente aliviar as posturas da Igreja em uma série de assuntos. Eles dizem que Francisco não se pronuncia abertamente contra o aborto e tem sido muito receptivo aos homossexuais e muito complacente em relação a protestantes e muçulmanos. 

O documento foi publicado na terça-feira pelo LifeSiteNews, website conservador que frequentemente serve como uma plataforma para ataques ao papa. Em 2018, o site publicou um documento de autoria do ex-embaixador do Vaticano para Washington, o arcebispo Carlo Maria Vigano, pedindo que o papa renunciasse. 

Um porta-voz do vaticano não quis comentar sobre a carta.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below