May 10, 2019 / 9:50 PM / 7 months ago

Fronteira com Venezuela não será "santuário do ELN", diz presidente da Colômbia

Iván Duque, presidente da Colômbia 14/04/2019 REUTERS/Luisa Gonzalez 

BOGOTÁ (Reuters) - A Colômbia está em alerta máximo para evitar que o grupo guerrilheiro ELN continue a receber armas, munições e apoio econômico do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse nesta sexta-feira o presidente colombiano, Iván Duque, que também destacou que irá combater a espionagem proveniente do país vizinho.

A imprensa local publicou na quinta-feira documentos que supostamente mostram que Maduro ordenou suas forças militares a apoiar com logística e inteligência o grupo colombiano Exército de Libertação Nacional (ELN), pouco depois da posse de Duque, em agosto do ano passado.

A Reuters não pode verificar os documentos de modo independente.

“Diante desses acontecimentos, nós temos nos preparado e temos feito ações em vários departamentos de fronteira”, disse Duque a jornalistas.

“Não vamos permitir que a fronteira se converta em um santuário para a ELN... Também temos todos os órgãos de segurança em alerta, porque não vamos permitir nenhum tipo de espionagem em nosso país”, acrescentou.

Duque tem se negado a manter as negociações de paz que o governo anterior abriu com a ELN, a não ser que a guerrilha formada por cerca de 2.200 militantes declare um cessar fogo unilateral e pare os sequestros e ataques contra a infraestrutura petrolífera.

Reportagem de Nelson Bocanegra

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below