May 17, 2019 / 12:02 PM / 4 months ago

Biden larga com força, mas terá armadilhas na corrida presidencial dos EUA

WASHINGTON (Reuters) - O ex-vice-presidente dos Estados Unidos Joe Biden mostrou uma força surpreendente nas três primeiras semanas da campanha pela indicação democrata para disputar a Presidência em 2020, provocando a pergunta: alguém pode detê-lo?

Ex-vice-presidente e pré-candidato democrata à Presidência dos EUA, Joe Biden 13/05/2019 REUTERS/Brian Snyder

Biden tem uma vantagem considerável sobre os outros 23 pré-candidatos do partido nas pesquisas de opinião. O presidente Donald Trump, um republicano, o trata como sua maior ameaça.

Antes do início formal da campanha no sábado, em um comício a céu aberto na Filadélfia, Biden, de 76 anos, pareceu calar os questionamentos sobre sua idade, sua capacidade de arrecadar fundos e de estar em descompasso com o Partido Democrata.

“Agora o resto da corrida gira em torno de Joe Biden”, disse Joe Trippi, uma autoridade democrata de longa data que não integra a campanha.

Mas pode haver armadilhas à frente. A primeira grande oportunidade dos concorrentes de Biden para minar sua dianteira vem no mês que vem, no primeiro de uma série de debates presidenciais democratas.

Biden pode se tornar o principal alvo dos ataques, particularmente dos progressistas. Ele também tem um histórico de gafes, algo que pode ser problemático na arena nacional.

Só na última semana, ele foi questionado por sua postura em relação ao combate à mudança climática e seu apoio a um projeto de lei anticrime dos anos 1990 que, segundo críticos, levou ao encarceramento em massa de negros.

“Estou dizendo há tempos que os melhores dias de Joe Biden serão o início de sua campanha”, afirmou Charles Chamberlain, diretor-executivo do grupo de ativismo progressista Democracy for America.

Segundo a Real Clear Politics, Biden tem o apoio de cerca de 40% do eleitorado democrata na média das pesquisas de opinião, o que lhe dá uma vantagem de mais de 20 pontos percentuais sobre seu concorrente mais próximo, o senador Bernie Sanders, do Vermont.

Estrategistas presidenciais experientes disseram à Reuters que, embora acreditem que alguns outros democratas se tornarão concorrentes sérios eventualmente, a força de Biden provavelmente é sustentável.

Eles citaram dois fatores principais: o grande número de postulantes democratas torna difícil qualquer um deles se destacar, e os eleitores tendem a evitar riscos quando procuram um candidato que vença o presidente de turno.

Em eleições recentes, favoritos de primeira hora como o democrata Al Gore, ele mesmo um ex-vice-presidente, em 2000 e o republicano Mitt Romney em 2012 tinham a indicação praticamente garantida, apesar de alguns tropeços pelo caminho.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below