May 22, 2019 / 2:05 PM / 6 months ago

Reino Unido chega profundamente dividido a eleição da UE que pretendia evitar

LONDRES (Reuters) - O Reino Unido irá realizar, na quinta-feira, eleições para o Parlamento Europeu que devem mostrar a frustração crescente dos eleitores com o impasse da separação britânica da União Europeia, quase três anos depois de o país votar a favor do rompimento.

Líder do Partido do Brexit, Nigel Farage 21/05/2019 REUTERS/Henry Nicholls

A eleição, da qual o Reino Unido não esperava participar, é resultado do impasse surgido na concretização do Brexit desde que o acordo da primeira-ministra britânica, Theresa May, com Bruxelas foi rejeitado três vezes pelos parlamentares.

O Reino Unido deveria ter deixado a UE quase dois meses atrás. Tendo em conta que adiou a data de saída duas vezes e que o Parlamento se mantém indeciso, continua sendo incerto quando, como ou mesmo se o país saíra algum dia do bloco. O novo prazo de saída é 31 de outubro.

As opiniões dos britânicos, que decidiram a saída da UE por 52% a 48% dos votos, se polarizaram. Pesquisas de opinião mostram que partidos fortemente pró-Brexit e pró-UE devem ganhar votos às custas do conservadores, de May, e da oposição trabalhista.

Segundo dados do instituto de pesquisas YouGov, só uma de cinco pessoas que votaram nos conservadores na última eleição nacional, em 2017, o farão novamente na quinta-feira, e 62% planejam apoiar o Partido do Brexit, de Nigel Farage.

Por sua vez, os trabalhistas estão perdendo eleitores para partidos que apoiam a permanência na UE.

O Partido do Brexit, criado no mês passado para enfrentar os líderes políticos que diz terem traído a votação pela separação, deve ficar no topo. Uma enquete YouGov desta quarta-feira mostrou o apoio à sigla, que pede um Brexit sem acordo, em 37%. Os conservadores de May aparecem em quinto lugar com meros 7%. 

Como o voto do “fico” está fragmentado entre vários partidos fortemente pró-UE, incluindo os Liberal Democratas, Change UK e o Partido Verde, estes devem conseguir menos assentos.

É provável que o resultado aumente a pressão para que May, cujos correligionários já sofreram uma derrota dura nas eleições locais do início deste mês, abra caminho para um novo líder o mais cedo possível.

Ela prometeu aceitar um cronograma para sua saída após uma quarta tentativa de conseguir a aprovação do Parlamento ao seu acordo do Brexit no começo de junho.

Na terça-feira, o ministro das Finanças, Philip Hammond, alertou que, se o impasse do Brexit não for resolvido nas próximas poucas semanas, existe um risco sério de o sucessor de May optar por uma saída sem acordo.

Por Kylie MacLellan

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below