May 31, 2019 / 7:00 PM / 5 months ago

Com saúde em colapso, Venezuela registra 4 mortes de crianças no mesmo hospital em um mês

CARACAS (Reuters) - Sob um arco de madeira decorado com balões brancos em uma casa pequena na maior favela de Caracas, o corpo de Erick Altuve, de 11 anos, jaz em um pequeno caixão coberto por brinquedos e desenhos em quadrinhos, uma das quatro crianças que morreram neste mês no principal hospital pediátrico da Venezuela.

Familiares carregam caixão com corpo de Erick Altuves, de 11 anos, que morreu por problemas respiratórios enquanto era tratado de um câncer, no bairro Petare, em Caracas 30/05/2019 REUTERS/Ivan Alvarado

Altuve faleceu em 26 de maio devido a problemas respiratórios enquanto era tratado de um câncer de estômago no hospital público José Manuel de los Ríos, uma torre de concreto rodeada por uma cerca de segurança no centro da capital.

Altuve não foi medicado nos últimos seis meses, disse sua mãe, Jennifer Guerrero, por causa da escassez generalizada de remédios e equipamentos médicos que tem devastado o sistema de saúde da Venezuela.

“Meu filho realmente queria viver”, disse Jennifer, uma dona de casa de 30 anos, durante um protesto contra as mortes das quatro crianças realizado por seus familiares e por enfermeiras em frente ao hospital.

As crianças pagam um preço especialmente alto pelo colapso do sistema de saúde da Venezuela, cuja economia encolheu em mais da metade durante os seis anos de recessão.

As cifras mais recentes do Ministério da Saúde do país mostram que a mortalidade infantil, referente a crianças de um ano ou menos, chegou a 11.466 casos em 2016, um aumento de 30% em relação ao ano anterior. Não existem dados oficiais sobre mortes de crianças com câncer.

A taxa de mortalidade de crianças de menos de 5 anos aumentou em 40% desde 2000, disse o grupo humanitário Save the Children em seu relatório de 2019.

A morte de Altuve em particular gerou uma onda de revolta e tristeza pelo país, provocando manchetes indignadas nos jornais, clamores da oposição por uma investigação e denúncias de organizações médicas não-governamentais.

Altuve e as três outras crianças que morreram são parte de um grupo de 30 crianças no hospital que aguardam para ir à Itália receber transplantes de medula óssea mediante um acordo de 2010 financiado pelo governo da Venezuela e concebido para cobrir os gastos do transporte e da operação.

A oposição atribuiu as mortes ao presidente Nicolás Maduro, cujo governo socialista é responsável pela ruína da economia da nação outrora rica e pelas reduções severas nos gastos com saúde.

O governo Maduro, no entanto, diz que as sanções impostas pelos Estados Unidos são as culpadas pelos óbitos infantis por congelarem fundos alocados para a compra de remédios e para o envio das crianças à Itália.

“Quando você nasce na Venezuela, você já está condenado à morte”, disse Mauricio Navas, cuja filha de seis anos, Mariana, está sendo tratada de leucemia no hospital José Manuel de los Ríos.

Reportagem adicional de Tibisay Romero

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below