August 1, 2019 / 1:27 PM / 2 months ago

Ruanda fecha fronteira com o Congo após 3º caso de Ebola em Goma

Posto na fronteira entre Congo e Ruanda é visto bloqueado por ameaça de Ebola em Goma 01/08/2019 REUTERS/Djaffer Sabiti

GOMA (Reuters) - As autoridades de Ruanda fecharam a fronteira com a cidade congolesa de Goma nesta quinta-feira para todas as pessoas, com exceção de cidadãos congoleses partindo de Ruanda, já que um terceiro caso de Ebola foi confirmado em Goma.

A filha de um paciente com Ebola da cidade do leste do Congo contraiu o vírus, confirmaram autoridades congolesas, a terceira ocorrência em uma cidade de ao menos um milhão de pessoas que faz divisa com Ruanda.

O ministro de Estado das Relações Exteriores de Ruanda, Olivier Nduhungirehe, disse à Reuters por telefone que a fronteira foi fechada em Gisenyi, a cidade ruandesa mais próxima, mas não quis dar maiores detalhes.

A confirmação do terceiro caso de Ebola em Goma aumentou o temor de que o vírus se enraíze na cidade densamente povoada, que se localiza mais de 350 quilômetros ao sul de onde o surto foi detectado. O segundo paciente morreu por ter buscado tratamento tarde demais e já estar sangrando, informaram autoridades na quarta-feira.

“Os exames de um caso suspeito no centro de tratamento de Ebola de Goma deram positivo para o vírus do Ebola. Investigações ainda estão em andamento sobre este... caso”, disse o médico Aaron Aruna Abedi, que coordena a operação do Ministério da Saúde do Congo em resposta ao Ebola, à Reuters por telefone.

Depois que o primeiro caso de Ebola de Goma foi confirmado, em meados de julho, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o surto uma emergência de saúde internacional. A entidade relutou em fazê-lo, em parte pelo receio de que países que têm fronteira com o Congo as fechassem.

Ao declarar a emergência, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse explicitamente que nenhum país deveria fechar fronteiras ou impor restrições comerciais ou de viagem.

“As autoridades congolesas lamentam esta decisão, que vai contra o conselho da OMS”, sobre combater o vírus, disse um comunicado da presidência do Congo.

O primeiro caso de Ebola em Goma não tem relação com o segundo ou o terceiro, disseram autoridades.

Por Fiston Mahamba em Goma, Stanys Bujakera em Kinshasa, Clement Uwiringiyimana em Kigali e Anna Pujol Mazzini em Dacar

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below