August 20, 2019 / 2:38 PM / a month ago

UE rejeita exigência de Johnson de renegociação do Brexit

LONDRES/BRUXELAS (Reuters) - A exigência do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, de que a União Europeia aceite renegociar o acordo de separação do país do bloco foi rechaçada nesta terça-feira pela UE, que disse que Londres foi incapaz de propor qualquer alternativa realista a uma política de seguro já combinada para a fronteira irlandesa.

Premiê Johnson visita hospital no Reino Unido 19/08/2019 REUTERS/Peter Nicholls/Pool

Após mais de três anos de crise do Brexit, o Reino Unido ruma para um confronto com a UE, já que Johnson prometeu sair do bloco em 31 de outubro mesmo sem um acordo, a menos que a União Europeia concorde em renegociar os termos da ruptura.

O bloco recusou diversas vezes reabrir o Acordo de Retirada, que inclui um protocolo sobre a política de seguro na fronteira com a Irlanda, o chamado “backstop”, que a então premiê britânica, Theresa May, combinou em novembro.

Em seu primeiro gesto direcionado à UE antes de reuniões com a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, Emmanuel Macron, Johnson escreveu uma carta de quatro páginas ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

“Proponho que o backstop seja substituído por um compromisso de adotar arranjos (alternativos) tanto quanto possível antes do fim do período de transição, como parte do relacionamento futuro”, escreveu Johnson. “O tempo é muito curto.”

Tusk disse que Johnson não propôs nenhuma alternativa realista, e a Comissão Europeia adotou uma linha semelhante, embora os líderes mais poderosos da UE, Merkel e Macron, ainda não tenham se pronunciado.

“Aqueles contra o backstop e não propondo nenhuma alternativa realista de fato apoiam restabelecer uma fronteira. Ainda que não o admitam”, tuitou Tusk.

A libra esterlina, sensível à perspectiva de uma saída sem acordo, logo caiu para patamar próximo aos menores níveis em três anos diante do euro e do dólar.

Diplomatas europeus esperam pouco progresso no Brexit até o cenário doméstico britânico ficar mais claro com a volta dos trabalhos do Parlamento em 3 de setembro – altura em que o opositor Partido Trabalhista prometeu tentar minar o governo Johnson.

Com a política britânica em tamanho tumulto, ainda não está claro como, quando ou até mesmo se o Reino Unido deixará a UE. Muitos acreditam em uma eleição dentro de meses.

Um diplomata de um país do bloco disse à Reuters que a carta de Johnson foi “puramente relações públicas” e que não pretende incentivar conversas construtivas, mas preparar o cenário para uma “troca de acusações” com a UE.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below