for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Governador de Nova York diz que não obedeceria se Trump ordenasse reabertura

Governador de Nova York, Andrew Cuomo, durante entrevista coletiva 27/03/2020 REUTERS/Jeenah Moon

WASHINGTON (Reuters) - O governador de Nova York, Andrew Cuomo, disse nesta terça-feira que não cumpriria nenhuma ordem que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pudesse dar para reabrir seu Estado de maneira insegura durante o surto de coronavírus.

“Se ele me ordenasse a reabrir de uma maneira que ameaçasse a saúde pública do povo do meu Estado, não o faria”, disse Cuomo em uma entrevista à CNN.

Na segunda-feira, Trump disse acreditar que tem “autoridade total” sobre os Estados no tocante à reação do país ao coronavírus, uma postura que não tem amparo na Constituição e foi rejeitada imediatamente por especialistas jurídicos e alguns governadores.

Cuomo disse que tal ordem criaria uma contenda constitucional entre os Estados e o governo federal que chegaria aos tribunais.

“E a pior coisa possível que ele poderia fazer neste momento (é) agir de forma ditatorial e agir de uma forma partidária e polarizadora”, disse, referindo-se ao empenho do presidente para se reeleger em novembro. “Deixe a política fora disso.”

Cuomo disse que os fundadores do país já decidiram a questão.

“Tivemos esta discussão. Foi muito tempo atrás. Pessoas chamadas Hamilton, Jefferson, Madison e Washington. E eles concluíram isso. Escreveram um documento que se chama Constituição dos Estados Unidos”, disse.

“Ela diz que o governo federal não tem poder absoluto”, disse Cuomo. “Ela diz o exato oposto do que o presidente disse. Diz que isso seria um rei.”

Por Doina Chiacu

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up