for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Rússia pode iniciar fase final de teste de vacina para Covid-19 em meados de agosto

Pesquisador marca amostras durante pesquisa para desenvolvimento de vacina para Covid-19 em laboratório de São Petersburgo 11/06/2020 REUTERS/Anton Vaganov

MOSCOU (Reuters) - Um instituto da Rússia que está desenvolvendo uma das possíveis vacinas contra a Covid-19 espera iniciar a fase final de testes em uma pequena parcela do público geral em meados de agosto, disse o diretor do instituto nesta segunda-feira, segundo a agência de notícias RIA.

Globalmente, das 19 vacinas experimentais contra Covid-19 em testes com humanos, só duas estão em testes finais de fase 3 -- uma da chinesa Sinopharm e outra da AstraZeneca e da Universidade de Oxford, que tem parte do teste realizada no Brasil. A chinesa Sinovac Biotech deve se tornar a terceira no final deste mês, também com testes no Brasil.

Resultados iniciais do primeiro teste de pequena escala da vacina desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, de Moscou, com humanos mostraram que ela é segura para o uso, de acordo com outra reportagem de domingo da RIA.

“Lá para 14-15 de agosto, espero, a quantidade pequena de vacina que devemos ser capazes de produzir entrará em circulação pública”, disse Alexander Ginsburg, o diretor do instituto, de acordo com uma citação.

Isso será equivalente a um teste de fase 3, já que as pessoas que receberem a vacina ficarão sob supervisão, noticiou a RIA, sempre citando Ginsburg.

Os testes de fase 1 e fase 2 normalmente verificam a segurança de um remédio antes de este avançar para a fase 3, que testa sua eficiência em um grupo maior de voluntários.

Os testes da vacina do Instituto Gamaleya com humanos começaram em 18 de junho. Nove voluntários receberam uma dose e nove outros testaram sua dose de reforço em potencial.

O grupo não teve nenhum efeito colateral significativo e deve ter alta do hospital na quarta-feira, noticiou a RIA no domingo, citando um diretor da Universidade Sechenov de Moscou, onde o teste ocorreu.

“Dados disponíveis atualmente... mostram que os voluntários desenvolveram uma reação imunológica à vacina contra coronavírus”, disse o Ministério da Defesa, envolvido nos testes, nesta segunda-feira, segundo uma citação da RIA. Outros 20 voluntários receberam a vacina em um hospital militar no dia 23 de junho.

Por Polina Ivanova

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up