for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

França reduz celebração do Dia da Bastilha por coronavírus

Força Aérea francesa sobrevoa Arco do Triunfo em comemoração ao Dia da Bastilha 14/07/2020 REUTERS/Christian Hartmann

PARIS (Reuters) - A França realizou uma celebração anual do Dia da Bastilha nesta terça-feira sem nenhum dos tanques e tropas habituais desfilando pela avenida Champs Élysées, em Paris, devido à epidemia de Covid-19 que ainda afeta a Europa.

O presidente Emmanuel Macron, em pé atrás de um jipe militar, passou por fileiras de soldados distanciados na Praça da Concórdia, após um sobrevoo de aeronaves militares.

“Desejo, com todos os franceses e os militares, prestar uma homenagem vibrante aos trabalhadores da saúde e àqueles que, em todos os setores, permitiram que a vida pública, social e econômica continuasse”, afirmou Macron em mensagem divulgada antes do evento.

“A dedicação, tenacidade, coragem, solidariedade que emergiram fortemente em toda parte, em nossas cidades e em nosso campo, exigem admiração.”

É a primeira vez desde 1980 que o desfile anual não é realizado ao longo da avenida Champs Élysées.

Na terça-feira, não foi permitido aos espectadores permanecer perto da Praça da Concórdia, a maior de Paris, a fim de evitar a propagação da doença que matou pelo menos 30.000 pessoas na França.

O Dia da Bastilha, ou o Dia Nacional da França, remonta à revolução de 1789. Naquele dia, os cidadãos invadiram a fortaleza da Bastilha, que era usada para deter prisioneiros e havia se tornado um símbolo do governo severo da monarquia francesa.

Reportagem de Sybille de La Hamaide

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up